Novembro Azul: mitos e verdades sobre o câncer de próstata

Novembro Azul: mitos e verdades sobre o câncer de próstata

 

Quando o assunto é câncer de próstata, é normal que surjam dúvidas e até mesmo alguns mitos sobre esta enfermidade. O processo de prevenção e diagnóstico chega a ser um tabu para muitos homens, aumentando a importância do debate sobre o tema. Por isso, vamos sanar aqui algumas dúvidas comuns quando se trata dessa doença.

O câncer de próstata é a segunda maior causa de óbito oncológico nos homens. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), estima-se o surgimento de cerca de 61.200 casos entre 2016 e 2017 no Brasil. Embora os avanços terapêuticos e a conscientização sobre a doença tenham aumentado ao longo dos anos, cerca de 25% dos pacientes morrem atualmente devido à doença, muitos destes diagnosticados em estágios avançados.

A doença se constitui como um dos tipos de câncer mais incidentes no sexo masculino, responsável por 28, 6% dos casos no país, ficando atrás somente do câncer de pele não-melanoma.

Por esta razão, o Novembro Azul utiliza como mote o câncer de próstata a fim de disseminar a conscientização sobre a saúde masculina em suas diversas faces e também esclarecer alguns tabus sobre a sua prevenção e diagnóstico. Confira aqui alguns mitos e verdades sobre a doença:

 

  • O câncer de próstata é uma doença de idoso.

Embora a maior parte dos casos de câncer de próstata diagnosticados atinjam homens com 65 anos ou mais, o que caracteriza uma maior ocorrência em indivíduos com idade avançada, cerca de 40% dos casos são diagnosticados em homens abaixo desta idade.

Diagnósticos abaixo dos 40 anos de idade são raros, mas os mais jovens devem ficar atentos às predisposições familiares e também aos fatores de risco pessoais, como doenças sexualmente transmissíveis.

  • Ter casos da doença na família aumenta o risco de desenvolver a doença. 

A hereditariedade é um dos principais fatores de risco para a doença. Por exemplo, um homem cujo pai teve câncer de próstata é duas vezes mais propenso a desenvolver a doença. Caso possua algum caso na família, o recomendado pela Sociedade Brasileira de Urologia é procurar um urologista a partir dos 45 anos.

 

  • O resultado do exame do antígeno prostático específico ou PSA aumentado é sinal da existência do câncer de próstata.

O exame é o primeiro passo no processo de diagnóstico do câncer. No entanto ele detecta também inflamações, infecções e alargamento da próstata, além do próprio câncer de próstata. Acredita-se que o PSA salva a vida de 1 em cada 39 homens que realizam o exame, pois este identifica a doença nos estágios iniciais.

No entanto, o diagnóstico pelo exame só é eficaz em conjunto com uma avaliação média e o exame de toque retal.

 

  • O câncer de próstata afeta a vida sexual do paciente.

As fibras nervosas que rodeiam a próstata podem ser afetadas em alguns tipos de tratamento contra o câncer. Estas são responsáveis pela capacidade de ereção, portanto a recuperação da função erétil do indivíduo pode depender do tamanho do tumor, tratamento e até mesmo da idade do paciente.

 

  • O câncer de próstata sempre apresenta sintomas.

Caracterizado como um dos tipos de câncer mais assintomáticos, a doença não apresenta sintoma algum durante seu início, quando as chances de cura são de cerca de 90%. Os sinais de câncer de próstata são frequentemente detectados durante um check-up de rotina.  

Os sintomas mais comuns incluem necessidade frequente de urinar, fluxo fraco ou interrompido de urina, dor ou ardor, ejaculação dolorosa, sangue na urina ou no sêmen, entre outros. Caso apresente qualquer um destes sintomas, procure um médico para o diagnóstico assertivo.

 

Cuide-se e fique atento ao processo diagnóstico. O Laboratório Vozza não só apoia esta causa como também disponibiliza os exames necessários para a detecção da doença. Agende seu exame: (19) 3733-2400.

 

Outubro Rosa: saiba mais o sobre o câncer de mama

câncer de mama

O câncer de mama é um dos tipos mais comuns da doença entre as mulheres. De acordo com o INCA (Instituto Nacional do Câncer), apenas em 2016 foram mais de 57 mil novos casos. Saiba mais sobre o câncer de mama e entenda a importância do diagnóstico precoce.

A doença

O câncer de mama se caracteriza pela multiplicação de células anormais do tecido mamário. São células que sofreram mutações genéticas e por isso adquiriram características anormais.

O corpo humano naturalmente substitui as células antigas por células novas e saudáveis. Porém, as células que sofrem alguma mutação genética passam a se proliferar de maneira rápida e desordenada, formando um tumor.

O tumor chamado benigno não causa nenhum perigo para a saúde. Suas células têm uma aparência próxima a normal e não se espalham para outras partes do corpo, não sendo consideradas cancerígenas.

Já o tumor chamado maligno tem potencial de causar danos a saúde e se espalhar pelo corpo. O câncer de mama é um tumor maligno que pode ou não invadir outros pontos do organismo.

A importância de se detectar o tumor precocemente

O diagnóstico do câncer de mama só pode ser confirmado após a biópsia do tumor. Porém, detectar o tumor precocemente é um fator importante para o tratamento. Estima-se que 95% dos casos diagnosticados no início têm possibilidade de cura.

O tamanho do tumor e a sua capacidade de se espalhar são decisivos. A detecção da doença quando feita no início, quando se identifica o tumor nas suas primeiras fases, aumenta as chances de cura e torna o tratamento menos agressivo.

Como detectar o câncer de mama?

Realizar os exames de rastreamento regularmente é a forma mais eficaz de detectar o câncer de mama precocemente. O objetivo destes exames é encontrar o câncer antes mesmo de ele causar sintomas. Veja quais são:

  • Exame clínico das mamas: Este exame é realizado pelo próprio médico ginecologista ou outro profissional da saúde treinado.
  • Mamografia: Exame específico para detectar alterações da mama em estágios iniciais. Indicado para mulheres acima dos 40 anos.
  • Autoexame: Pode ser realizado pela mulher mensalmente após a menstruação.

O autoexame: como fazer

Aproximadamente 80% dos tumores são descobertos pela própria mulher. Ao realizar o autoexame você deverá procurar por caroços, protuberâncias ou retrações da pele e do bico do seio ou ainda secreções dos mamilos. Saiba como fazer:

1) Em pé e de frente para um espelho, coloque uma mão atrás da cabeça. Com os dedos da outra mão, realize movimentos circulares por toda a mama até chegar à axila.

2) Com os braços abaixados ao longo do corpo, observe o aspecto das suas mamas. 3) Levante os braços, colocando as mãos na cabeça, e veja se ocorre alguma mudança no contorno.

3) Para finalizar, aperte o mamilo delicadamente e observe se sai qualquer secreção.

Lembramos que a constatação de alterações não indicam necessariamente a existência de câncer.

outubro rosa

Tenha hábitos saudáveis!

Adotar hábitos saudáveis também é muito importante para reduzir o risco de câncer de mama. O fumo e o álcool estão entre os itens que devem ser evitados! É indicado que a mulher tenha uma alimentação saudável e pratique atividade física regularmente.

Consulte sempre seu médico e conte com o Laboratório Vozza para realizar seu exames!

Câncer de próstata: 7 novos casos da doença são descobertos a cada hora

destaque_cancer

Um estudo realizado em 2015 pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) apontou que metade dos homens nunca foram a uma consulta no urologista. Um número alarmante considerando-se que a doença mais comum entre eles é o câncer de próstata: 7 novos casos são descobertos a cada hora.

Para os homens, o câncer de próstata é o tipo mais comum e o que tem a segunda maior causa de óbito. De acordo com o Inca (Instituto Nacional do Câncer), somente em 2016 estima-se que totalizarão 61.200 novos casos no Brasil.

 

A doença

A próstata é uma glândula que se localiza na parte de baixo do abdômen. Ela envolve a porção inicial da uretra (tubo pelo qual a urina é eliminada) e é responsável pela produção de parte do sêmen.

O tumor cresce muitas vezes de forma lenta, o que torna a doença silenciosa: na maioria dos casos não há sintomas. Já os tumores mais avançados costumam se manifestar como dificuldade de urinar, insuficiência renal e dores fortes no corpo.

 

O diagnóstico

A consulta ao urologista é a única forma de diagnosticar a doença. O exame clínico (toque retal), aliado ao exame de sangue de dosagem de antígeno prostático específico (PSA), pode mostrar a presença do câncer de próstata. Outro método é a ressonância magnética multiparamétrica da próstata, que mostra áreas suspeitas de câncer.

Ao descobrir a doença, o médico poderá determinar a gravidade do tumor e através da biópsia verificar o melhor tratamento para cada caso. Quando o tumor é classificado como de baixo risco e o paciente se enquadra em uma série de requisitos, o tratamento indicado pode ser apenas a vigilância para o controle da evolução do quadro, sem a necessidade de uma intervenção terapêutica. Nos casos de tumores mais agressivos, já existem medicamentos específicos que proporcionam sobrevida e maior bem-estar ao paciente. Eles atuam retardando a progressão do tumor.

 

Grupos de risco

A grande maioria dos casos de câncer de próstata ocorre a partir dos 65 anos. Porém, estatísticas apontam que homens mais jovens têm apresentado o tumor na forma mais agressiva. Estudos também mostram que existe uma maior incidência em pessoas negras, assim como em homens que já possuem casos da doença na família. Uma alimentação rica em gordura, sedentarismo e obesidade também são considerados fatores de risco.

 

Novembro Azul

Nos casos em que a doença é diagnosticada no início, as chances de cura chegam a 90%. Por isso, a SBU recomenda que os homens a partir de 50 anos procurem um urologista para a realização de exames. Os homens negros e os que já possuem histórico familiar da doença devem procurar o especialista a partir dos 45 anos.

A campanha do Novembro Azul surge como uma iniciativa para conscientizar e informar os homens da importância da prevenção do câncer de próstata por meio do diagnóstico precoce e de hábitos saudáveis.

 

O Laboratório Vozza não só apoia esta causa como também disponibiliza os exames necessários para a detecção da doença. Agende seu exame: (19) 3733-2400.