Como superar o desafio pós-traumático do câncer

O câncer está entre as doenças que mais levam à morte no mundo. Quando é diagnosticado, o temor é muitas vezes inevitável. No entanto, do decorrer de cada luta vencida, o gosto da vitória é grande. O que muita gente não sabe é que a batalha continua mesmo após o término eficaz do tratamento.

Engana-se quem pensa que sequelas físicas são as únicas marcas que ficam após um longo tratamento do câncer. Mais do que feridas no corpo, a alma fica tão ou mais marcada, e para muitos, sair da rotina de tratamento e voltar a ter uma rotina saudável não é tão fácil quanto parece.

Conviver com efeitos colaterais de medicamentos que precisam ser tomados por anos, enfrentar o impacto econômico causado pelo custo de tratamento, conviver com o medo de passar por tudo isso novamente, caso a doença volte, são algumas das batalhas que ex-pacientes precisam lidar mesmo fora do hospital.

E não para por aí. Muitos pacientes perderam companheiros, namorados e amigos durante o processo. Muitos se sentiram abandonados. E voltar a integrar essa mesma sociedade que os abandonou parece ser um ferida aberta.  Habilitar-se em um emprego novo, conviver com as pessoas, entender que é preciso preparar a mente e o espírito para deixar as feridas cicatrizarem e se integrar no meio social são alguns dos desafios daqueles que receberam alta do hospital e tiveram o diagnóstico alterado para: li-ber-da-de!

Com tantos artefatos, como reestabelecer uma vida tradicional e como preparar o corpo e a mente para esta nova fase?

O primeiro passo é aceitar que você pode ou está passando por isso. Entender que este sentimento, munido de medo, não é exclusividade sua. E, claro, responder a si mesmo: como posso lidar com isso da melhor forma possível?

  1. Mantenha-se em equilíbrio

É natural ter momentos onde você quer chorar, surtar, gritar. Todos os indivíduos, tenham eles passado por uma doença ou não, sentem-se assim. E entender isso é começar a treinar sua mente para dirigi-la ao seu objetivo: reintegrar-se. Reinventar-se! Alcançar seu emprego, construir relações, manter sua saúde física e mental. E quando falamos em equilíbrio, falamos de equilíbrio emocional, equilíbrio físico e equilíbrio mental. No qual, destes três, o último deve ser seu guia. É por meio do equilíbrio mental que você irá conseguir direcionar suas emoções e sua aptidão física. Portanto, reflita sempre sobre suas emoções, sobre como sua saúde está se desenvolvendo. E assim, controle-se para manter tudo em equilíbrio. Procure ocupar a mente com algum assunto que goste. Praticar prazeres possíveis é uma ótima forma de dar início a esta nova jornada. E aí, o que você gosta de fazer? Ler, cozinhar, estudar, conversar, caminhar. Seja como for, que tal começar agora?

  1. Alimentação e cuidados médicos

Saúde física não pode sair de pauta. Não deixe de tomar os remédios e mantenha uma alimentação regrada, de acordo com as recomendações médicas. Mas lembre-se: você não está mais no hospital! Sair para jantar com a família, conhecer pratos novos. Por que não? Lidar com os efeitos colaterais de remédios é tarefa árdua. Por isso, é imprescindível seguir à risca as instruções médicas. Determinação e foco são cruciais neste momento. Lembre-se: tudo é uma questão de tempo. Aprenda a conhecer seu corpo e seus limites. E trace um novo plano a partir daí.

  1. Encontre apoio

Nesta fase, o apoio da família e de amigos é sempre um empurrãozinho que leva à melhora diária. A fé e a religiosidade também estão entre os fatores determinantes de muitos. Aonde está o seu apoio? É na fé? É no amor do seu companheiro ou companheira? Antes de qualquer resposta que venha à sua mente, é preciso estar claro que você é seu maior apoio! Tenha fé em si mesmo, perceba como foi vencedor, ame a si mesmo. Encontre na sua vida uma justificativa para ser e fazer acontecer.4.Divirta-se

A doença te muda. Mas você pode mudar de atitudes perante a doença. Permita-se ir além, permita-se uma oportunidade. Permita-se reconhecer em si quais são seus novos pontos fortes, tanto fisicamente quanto emocionalmente. E quais são seus novos pontos fracos. Reinvente-se! Encontre novos prazeres.

  1. Saiba o seu limite

Até onde você pode ir? Saiba reconhecer os limites do seu corpo e da sua alma. Não de um passo insensato. Mas trilhe um caminho saudável, com otimismo e precaução. E lembre-se: sempre há uma nova forma para viver. Só é preciso se adaptar a ela.