Rinite alérgica sazonal: dicas para prevenir

Entre as trocas de estação, os casos de rinite alérgica sazonal costumam aumentar bastante. Então, os cuidados com a saúde são imprescindíveis. Veja como se cuidar!

O período de transição entre o inverno e a primavera normalmente é marcado pela rinite alérgica sazonal. E quem sofre com ela sabe o quanto isso é ruim! Assim como outros tipos de alergias e rinites, ela é caracterizada pela inflamação no nariz devido à exposição a alérgenos como a poeira, o mofo, fumaça de cigarro, ácaros e pólen.

Em específico na primavera, os casos são ainda mais comuns. Afinal, é quando o pólen transportado pelo ar está em maiores níveis na atmosfera por causa da intensa florescência das árvores e da polinização das plantas.

Para você que convive com a rinite alérgica sazonal, saiba como se cuidar para ficar tranquilo durante essa estação. Anote as dicas a seguir:

                 Rinite alérgica sazonal: veja 5 dicas para se prevenir!

  • Arcondicionado

 O ar-condicionado em temperatura ambiente pode ser um bom aliado contra a rinite alérgica sazonal, sabia? Isso porque ele retém as partículas de poeira e pólen em seu filtro, o que ajuda a criar uma barreira de proteção no ambiente. Se possível, utilize também um umidificador, assim você evita que o ar seco prejudique ainda mais a situação!

  • Elimine os ácaros

Mantenha a casa, em especial os armários, sempre seca, limpa e arejada. Essa é uma boa solução para acabar com a proliferação de ácaros e, consequentemente, evitar a rinite alérgica sazonal. Lembre-se: eles se alimentam dos restos de pele que se misturam à poeira e gostam de ambientes quentes e úmidos, por isso tente eliminar essas possibilidades!

  • Troque as roupas de cama

 Por falar em ácaros, roupas de cama como lençóis, travesseiros e cobertas são lugares perfeitos para eles. Por essa razão, é muito importante trocar e lavar a roupa de cama com água quente ao menos uma vez na semana, certo?

  • Evite aromas fortes

 Perfumes e produtos químicos, como os de limpeza, por exemplo, costumam ter um cheiro muito forte, o que pode agravar uma crise de rinite alérgica sazonal. Por este motivo, prefira aqueles com aromas mais neutros e suaves.

  • Higiene

 Por último, uma dica que parece muito simples, mas que ajuda e muito: lave o nariz com frequência, usando soro fisiológico. O líquido limpa as impurezas e reduz os efeitos da poeira e do pólen que estão no ar, ajudando a evitar a tão temida rinite.

Como saber se estou com rinite alérgica sazonal?

Todas as dicas acima ajudam a prevenir as crises alérgicas, não é verdade? Mas antes é muito importante que você conheça as causas dessa e de outras alergias. Só assim você poderá ter um tratamento adequado!

Uma das maneiras de descobrir isso é através dos exames laboratoriais.

Caso não seja possível realizar o teste cutâneo, que pode apresentar uma reação alérgica grave, os exames de sangue especiais são uma boa alternativa. Eles medem os níveis de substâncias específicas relacionadas às alergias, principalmente a imonuglobulina E (IgE), um anticorpo produzido pelo organismo para combater os alérgenos.

 

Conte com o Laboratório Vozza para os

exames de detecção da rinite alérgica sazonal

Gostou das nossas dicas? Agora que você sabe como prevenir a rinite alérgica e como é feito o diagnóstico, conte com o Laboratório Vozza para realizar todos os seus exames.

Saiba mais sobre os tipos de exames que realizamos e veja como agendar seu horário.

Exames laboratoriais: a importância de manter a saúde em dia

Exames laboratoriais: a importância de manter a saúde em dia

Aproveitando que 5 de agosto foi o Dia Nacional da Saúde, veja algumas dicas para cuidar da sua saúde

No mês que há uma data exclusiva para falar sobre a importância do cuidado com a saúde, nada mais propício do que alertar e orientar a população sobre o assunto. E para começar essa rotina, na maioria das vezes, exames laboratoriais podem ser grandes aliados.

Em um artigo publicado pelos diretores da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica, foi revelado que 70% das decisões médicas se baseiam nos resultados dos exames laboratoriais. Assim, eles são usados para obter informações importantes sobre o estado de saúde do paciente e depois, se necessário, indicar um tratamento mais adequado.

Mas, afinal, você sabe o que são esses exames laboratoriais? Solicitados por um médico responsável e feito em laboratórios de análises clínicas, são um conjunto de testes e exames minimamente invasivos, por exemplo, o hemograma, o teste de gravidez, exame de urina, entre outros.

Podem ser realizados por farmacêuticos, biomédicos, bioquímicos e médicos. Apesar de estarem presentes na nossa rotina de cuidados com a saúde, muitas pessoas ainda têm dúvidas de como se preparar para eles. Por esse motivo, reunimos algumas dicas para os mais solicitados. Confira!

Tipos de exames laboratoriais mais indicados

Mamografia

A paciente deve chegar com pelo menos 30 minutos de antecedência ao laboratório. É importante que ela não tenha aplicado nas mamas ou axilas cremes, talcos e desodorantes. O ideal é que ele seja realizado após o período menstrual, já que a sensibilidade é menor. As mulheres grávidas ou com suspeita de gravidez não podem realizar o procedimento. Caso esteja amamentando, as mamas devem ser esvaziadas uma hora antes.

Colesterol total ou fracionado

A taxa é descoberta por exames laboratoriais de sangue. Então, o ideal é que ele seja feito pelo menos uma vez por ano. Três dias antes, mantenha uma dieta mais leve e não consuma bebidas alcoólicas por 72h. Para crianças acima de 5 anos e adultos, o jejum deve ser de, no mínimo, 12h e, no máximo, 14h.

Hemograma

É destinado à análise das moléculas que compõem o corpo humano. Para esse exame, não é necessário um preparo anterior.

Glicemia

O teste serve para medir a taxa de açúcar no sangue e prevenir doenças como a diabetes, por exemplo. Não pratique atividades físicas 12h antes de realizar o exame e o jejum deve ser de, no mínimo, 8h e, no máximo, 14h.

Outra dica importante sobre os exames laboratoriais é quanto à ingestão de água. É importante lembrar que é permitido, sim, tomá-la em jejum, desde que moderadamente. Isso porque o excesso pode interferir em exames como o de urina. Agora, se o exame exigir algum tipo de anestesia, fica proibida a ingestão de líquidos.

Quanto ao jejum, nunca ultrapasse o período de 14h. Depois desse tempo, o organismo usa sua reserva e começa a queimar gordura e proteína, alterando os resultados dos exames.

Conte com o Laboratório Vozza para seus exames laboratoriais

Agora que você entendeu mais sobre a importância dos exames e testes para o cuidado com a sua saúde, conte com o Laboratório Vozza para realizá-los! Saiba mais sobre os tipos de exames que realizamos e veja como agendar seu horário.

Saúde dos olhos no inverno: proteja-se da conjuntivite

Em 10 de julho é comemorado o Dia Mundial da Saúde Ocular e, com um inverno seco, há maior propensão a doenças virais e bacterianas na região ocular. Por isso, resolvemos trazer dicas simples e práticas para você cuidar da saúde dos olhos!

Quem nunca chegou ao trabalho ou em casa e encontrou alguém reclamando de ardência ou vermelhidão nos olhos? Nessa hora, todo cuidado é pouco. Afinal, “não chegue muito perto! Pode ser conjuntivite…”

A saúde dos olhos é coisa séria e no período de inverno o cuidado deve ser redobrado. Confira aqui alguns cuidados básicos para evitar a conjuntivite e entenda melhor algumas perguntas comuns sobre a saúde dos olhos.

 

Queda de temperatura e o aumento dos casos de conjuntivite

Nem tão curiosamente, o inverno é a época do ano em que aumentam os casos de conjuntivite.  Também, nesse período é natural que as pessoas procurem fugir das baixas temperaturas e se aglomerem em ambientes fechados.

É aí que fica o problema! Com essas condições, é muito mais fácil propagar as doenças infectocontagiosas, incluindo a conjuntivite!

Entendendo a conjuntivite

A conjuntivite é uma inflamação da membrana conjuntiva, aquela parte branquinha dos olhos, sabe? Sua origem pode ser viral, bacteriana, química, fúngica ou alérgica. A forma  viral, além de apresentar maiores riscos para a saúde dos olhos, é também mais fácil de contágio.

Assim, apesar de o inverno facilitar as epidemias, a conjuntivite por si só é de fácil transmissão. Ela ocorre através do contato com a secreção presente em superfícies de uso comum, como mouses, canetas, maçanetas etc.

Então, já deu pra entender o recado, certo? Principalmente nesse período, todo cuidado é pouco.

Os primeiros sinais da conjuntivite são ardência nos olhos, vermelhidão, coceira e incômodo na região ocular, excesso de lágrimas e secreção.

Muita gente utiliza colírios antibióticos sem prescrição assim que os sintomas surgem. No entanto, isso pode\ prejudicar o tratamento da conjuntivite e até mesmo agravar a saúde dos olhos. Em caso de contágio, busque um especialista.

4 DICAS DE OURO PARA CUIDAR DA SAÚDE DOS OLHOS

Consultas regulares ao oftalmologista

Uma única visita anual é o que você precisa para cuidar melhor da saúde dos olhos. Em um oftalmologista, você poderá realizar exames essenciais capazes de prevenir e diagnosticar doenças.

Entre os exames mais comuns estão o de fundo de olho e o de medida de pressão ocular, a tonometria. Eles são práticos, rápidos e indolores e ainda podem garantir tranquilidade por pelo menos mais um ano!

Não esfregue os olhos

Acabar com uma coceira parece irresistível e até terapêutico, não é mesmo? Mas quando se trata de saúde dos olhos, esse hábito deve ser abolido! Sabe por quê?

A córnea é uma camada fina e delicada. Assim, o atrito pode causar lesões que levam a problemas mais sérios.

Isso sem mencionar o risco de contaminação que é muito maior, uma vez que levamos as mãos aos olhos. Esse hábito pode facilitar o contágio de doenças como a conjuntivite bacteriana, de que já falamos por aqui.

Então, resista à tentação e, quando surgir aquela coceira nos olhos, lave-os bem com as mãos higienizadas ou use colírio de lágrimas artificiais.

Mais que estilo: uma vantagem para a saúde dos olhos

Elegantes, descolados ou extravagantes: a verdade é que os óculos não são apenas aliados do estilo. Também são fortes agentes para a saúde dos olhos. Os escuros são verdadeiros amigos!

Mas atenção: a qualidade das lentes é mega importante! Utilizar óculos de sol falsificados ou de baixa qualidade aumenta os riscos de catarata e degeneração macular. .

Por isso, aposte no estilo, mas invista também em proteção. Use somente lentes de óculos com proteção UVA e UVB.

Cuidado com a alimentação

O corpo humano é uma verdadeira maquininha, cujas engrenagens estão em sincronia. Por isso, vamos destacar dois pontos relacionados à alimentação e que interferem na saúde dos olhos.

O primeiro deles é o consumo de açúcar. Os alimentos ricos em glicose são perigosos para a saúde dos olhos, principalmente para os pacientes diabéticos. O agravante aí é o risco de uma retinopatia diabética.

A segunda questão é uma dica, não um alerta. O consumo de peixe pode ser bastante benéfico para a saúde dos olhos. Isso porque, além do ômega 3 e das vitaminas A, B, D e E, seu consumo amplia a distribuição de oxigênio pelo corpo, incluindo os olhos.

Dessa forma, é possível combater o envelhecimento do aparelho ocular e as doenças degenerativas como a degeneração macular.

 

Para continuar em dia com sua saúde, conte com o Vozza na realização de seus exames laboratoriais e para mais dicas como estas.

Cuidados com a exposição ao sol: confira 5 dicas

Ainda falta um mês para o início do verão. Mas você sabia que não é só nessa estação que devemos estar atentos aos cuidados com a exposição ao sol? É isso mesmo, afinal, nós estamos em contato diariamente com os raios solares, mesmo nos dias mais frios.

Mas saiba que através de alguns hábitos muito simples é possível se prevenir contra os perigos da exposição excessiva ao sol. Por isso, para evitar possíveis problemas como a insolação, a desidratação e o câncer de pele, separamos algumas dicas especiais para você adotar no seu dia a dia. Confira!

5 dicas de cuidados com a exposição ao sol

1. Protetor solar

Entre os principais cuidados com a exposição ao sol, o uso de protetores solares destaca-se como um dos mais essenciais. Isso porque esses produtos nos protegem contra os raios UVA e UVB, que podem causar desde pequenas vermelhidões até o envelhecimento precoce e o câncer de pele.

Mas não se esqueça de que esse tipo de cuidado com a exposição ao sol deve ser diário, e não apenas durante as férias ou em momentos de lazer. Além disso, lembre-se de aplicar o filtro solar pelo menos 30 minutos antes de sair ao sol, para que a pele absorva o produto corretamente.

2. Hora certa

Tem hora certa pra tudo, não é mesmo? E com a exposição ao sol não é diferente.

Existem alguns períodos mais seguros para pegar aquele solzinho, que é quando há menor radiação UVB, causadora de queimaduras e principal fator de risco para o desenvolvimento de câncer de pele. Assim, o ideal é evitar o sol entre as 10h e as 16h. Mas mesmo nas horas mais saudáveis, não se esqueça dos outros cuidados com a exposição ao sol: protetor solar sempre! 

3. Roupas e acessórios

Em dias de sol mais intenso, o uso de filtros solares não é o suficiente. Existem algumas roupas e acessórios que também são muito importantes nos cuidados com a exposição ao sol.

Para as atividades ao ar livre, as roupas de algodão são uma boa opção, já que elas bloqueiam a maior parte dos raios ultravioleta. Tecidos sintéticos como o nylon, por exemplo, bloqueiam apenas cerca de 30% dessa radiação. Além disso, aposte em chapéus e óculos escuros para se proteger ainda mais. A luminosidade excessiva pode causar algumas doenças, como catarata, lesões nos olhos e até câncer nas pálpebras. 

4. Hidratantes pós-sol

A nossa pele sente diretamente as consequências de uma exposição solar excessiva. É comum que depois de um dia no sol sem a proteção necessária, nossa pele arda, descasque e fique ressecada. Nesses casos, os hidratantes pós-sol podem ser uma ótima alternativa para manter a pele hidratada e suavizar os efeitos da insolação.

Isso porque eles geralmente contam com ingredientes naturais que ajudam a suavizar as queimaduras causadas pelo sol e também diminuem as inflamações causadas pelos raios UV.

5. Alimentação e hidratação

Embora não pareça, a alimentação pode sim ser um cuidado muito importante quando estamos falando de exposição solar. Alguns alimentos como mamão, abóbora, cenoura e beterraba, ajudam na prevenção aos possíveis danos na pele causados pelo sol. Isso porque eles contêm os famosos carotenoides, que se depositam na pele e possuem ação antioxidante.

Além disso, a hidratação é outro item essencial para cuidar bem do seu corpo, principalmente nos dias mais quentes. Abuse da água, dos sucos naturais, das vitaminas e da água de coco.

 

Como prevenir um AVC? Confira nossas dicas!

Você sabia que no dia 29 de outubro é celebrado o Dia Mundial do AVC? Responsável pela morte de seis milhões de pessoas no mundo a cada ano, o Acidente Vascular Cerebral se caracteriza pela falta de irrigação sanguínea em uma parte do cérebro. Mas, apesar dos seus sintomas surgirem repentinamente, é muito importante saber como prevenir um AVC para evitar ao máximo esse tipo de doença.

Por isso, o Vozza separou algumas dicas que podem ajudar a reduzir os riscos e garantir uma vida mais saudável. Confira!

1. De olho na hipertensão

A pressão alta é, sem dúvida, a principal desencadeadora de um acidente vascular cerebral. Devido ao fluxo mais forte de sangue, as paredes internas das artérias podem sofrer traumas. Essas pequenas lesões podem obstruir a passagem do sangue ou até mesmo romper a parede da artéria.

Para controlar a pressão alta, adotar alguns hábitos saudáveis, como reduzir o consumo de sal e praticar exercícios, é uma boa dica.

2. Cuidado com o cigarro

Para você que fuma e está se perguntando como prevenir um AVC, saiba que o cigarro é um outro risco para o surgimento da doença. Isso porque algumas substâncias presentes na nicotina fazem com que a coagulação do sangue aumente.

Isso facilita a formação dos chamados “trombos”, que prejudicam o fluxo sanguíneo e aumentam as chances de um derrame. Mulheres que fazem uso de contraceptivos orais também devem estar atentas, já que eles contêm hormônios que também interferem na coagulação sanguínea.

3. Reduza o colesterol

Altos níveis de colesterol podem aumentar o espessamento e o endurecimento das artérias, favorecendo o aparecimento dos coágulos. Além disso, o excesso de colesterol no sangue também pode fazer com que placas de gordura se acumulem nas paredes arteriais, dificultando o fluxo sanguíneo.

Por isso, reduza os níveis de colesterol. Evite alimentos fritos, industrializados, ricos em gorduras saturadas e trans e beba sempre muita água.

4. Tenha uma alimentação saudável

Por falar em colesterol, manter uma alimentação saudável é outra ótima dica para evitar a doença. Mas então como prevenir um AVC através da alimentação? O primeiro passo é reduzir o consumo de sal. Depois, aumente o consumo de fibras (aveia, arroz, pães integrais, cereais) e evite as carnes com muita gordura.

Controlar o consumo de açúcar também é muito importante, já que a diabetes é um dos principais fatores de risco de um AVC. Além disso, inclua frutas e vegetais em sua dieta. O ideal é comer de 5 a 8 porções de frutas e vegetais em um dia.  Mas lembre-se de consultar um profissional para verificar as suas necessidades.

5. Controle o seu peso 

O sobrepeso e a obesidade podem desencadear algumas complicações como hipertensão, doenças cardíacas, colesterol alto e diabetes, fatores de risco do AVC.

Assim, estar sempre atento à balança e prezar por uma rotina mais saudável e menos sedentária é uma boa dica de como prevenir um AVC.

6. Pratique atividades físicas regularmente

Ligada a todas as dicas anteriores, a prática de exercícios físicos auxilia no controle de peso, na saúde do coração, na formação dos coágulos sanguíneos e na redução dos riscos de hipertensão e diabetes.

Além de evitar as chances de um acidente vascular cerebral, a prática de atividades físicas também auxilia em nossa saúde física e mental. Mas lembre-se: nada de fazer aquilo que você não gosta! Escolha aquele exercício que mais te dá prazer, independente de qual seja.

Para garantir resultados e diagnósticos precisos, conte com um laboratório de qualidade. Há 50 anos aliando qualidade e comprometimento, o Laboratório Vozza visa sempre uma relação humanizada com o paciente. Fale conosco!

 

Como saber se é menino ou menina?

A gravidez é, com certeza, um dos momentos mais especiais e únicos na vida de qualquer pessoa. Mas, passada a euforia da descoberta, uma dúvida se instaura na cabeça dos futuros papais e mamães: como saber se é menino ou menina?

É claro que existem aqueles que preferem esperar o momento do nascimento para saber o sexo do filho. Mas, em sua grande maioria, as pessoas têm uma curiosidade natural diante dessa situação.

Então, se você é um daqueles papais mais ansiosos, neste texto vamos explicar quais são as formas mais utilizadas para identificar o sexo do bebê. Vamos lá?

Sexo do bebê: como saber se é menino ou menina

Você já imaginou como era a vida de nossos bisavôs, na época em que precisavam esperar até o dia do nascimento para, enfim, conhecerem qual o sexo dos seus filhos? Atualmente, com o avanço da tecnologia, existem diversas formas para identificar o gênero do feto com antecedência.

Alguns exames, como o de sexagem fetal, permitem que os pais saibam qual o sexo dos seus filhos a partir da 8ª semana de gravidez. Mas além deste exame, também existem outros métodos, como o ultrassom e a amniocentese.

Vamos entender melhor sobre como cada um desses procedimentos funciona?

Exame de sexagem fetal

Se você é um futuro papai ou mamãe e agora está se perguntando “como saber se é menino ou menina?”, saiba que o exame de sexagem fetal vem ganhando cada vez mais popularidade nos últimos anos.

Ele consiste na coleta de uma amostra do sangue da mãe, para ser feita uma análise do DNA do feto. Isso porque, desde os primeiros momentos da gestação, existem células do feto circulando na corrente sanguínea materna.

Essa análise laboratorial irá buscar o cromossomo Y, que caracteriza o sexo masculino. Se este cromossomo for identificado no exame, a probabilidade do bebê ser um menino é de 96%.

Esse é um tipo de teste simples, que não precisa de nenhum preparo prévio e que pode ser feito a partir da oitava semana de gravidez.

Ultrassom

O ultrassom ainda hoje é o método mais comum para distinguir qual o sexo dos bebês. Na verdade, o ultrassom obstétrico possui diversas utilidades e faz parte dos exames de rotina obrigatórios para as gestantes. Assim, a identificação do gênero é apenas uma de suas finalidades.

Mas então como saber se é menino ou menina através do ultrassom? Simples: verificando, através das imagens, se o bebê possui um pênis ou uma vulva. Mas, por mais fácil que pareça esse procedimento, o recomendado é que essa análise seja feita apenas a partir da 14ª semana de gestação.

Isso porque, embora a genitália do feto comece a se diferenciar já na 6ª semana, é a partir da 14ª que ela já se encontra bem formada e capaz de ser observada em um exame de ultrassom.

Além disso, a eficiência dessa análise também dependerá da posição do bebê dentro do útero. Afinal, mesmo que a genitália esteja inteiramente formada, uma posição desfavorável do feto pode prejudicar a visão do médico.

Amniocentese

Este é considerado um “exame diagnóstico”. Isto é, ele é utilizado para descobrir determinadas doenças no bebê e só é solicitado quando há indicações de problema, como alterações nos exames de rotina.

A amniocentese consiste na retirada de uma amostra do líquido amniótico de dentro do útero da mãe para ser feita uma análise em laboratório. Ele é um exame invasivo e que acarreta alguns riscos para o bebê.

É importante lembrar que a amniocentese nunca deve ser feita exclusivamente para a identificação do sexo da criança. A determinação do gênero é apenas uma consequência deste exame.

 

Agora que você já sabe como saber se é menino ou menina, ficou mais fácil preparar tudo para a chegada do filhote, não é mesmo?

 

Para um atendimento mais humanizado e com a qualidade que você merece, conte com o Laboratório Vozza!

 

4 formas de acabar com a insônia naturalmente

Você já ouviu falar naquela expressão “dormir o sono dos justos?” É aquele sono tranquilo, que revigora e te deixa pronto para um dia superprodutivo. Porém se você sofre de insônia, é algo que você certamente não experimenta há algum tempo. Qualidade de sono leva à saúde e você não precisa conviver com este problema. Confira então 4 formas de acabar com a insônia naturalmente: Fuja da cama Isso mesmo, você não entendeu errado. Ao sofrer de insônia, devemos ficar bem longe de nossas camas. Isso porque se não é possível adormecer tranquilamente entre 15 e 20 minutos após nos deitarmos, devemos sair da cama e buscar alguma atividade relaxante, como ler ou tomar um banho. Quando permanecemos acordados na cama por muito tempo, enviamos ao nosso corpo a mensagem equivocada de que aquele ambiente ou circunstância são próprios para continuarmos despertos. Assim, sempre que você se deitar, vai permanecer acordado. Encontre técnicas de relaxamento Quem sofre de insônia é atingido consequentemente pela ansiedade, que leva à mente os problemas, inquietações e assuntos futuros. Com a mente trabalhando a todo vapor, é impossível adormecer de forma natural e tranquila. Para driblar essa avalanche de ideias, busque relaxar por meio da prática de ioga, meditação ou até mesmo exercícios de relaxamento muscular, que podem nos levar a um estado de relaxamento, suficiente para adormecer bem. Esqueça o relógio Quando tentamos dormir e não conseguimos, sempre começamos a pensar no estado de exaustão em que acordaremos no dia seguinte. Quando sabemos que faltam apenas 2 ou 3 horas para despertarmos e nada do sono chegar, começa a surgir aquela sensação de frustração e desespero. Para evitar esses sentimentos que prejudicam ainda mais a noite de sono, livre-se dos relógios! Calma, isso não significa desligar o despertador, mas sim tentar eliminar da visão todos os relógios, para que você não caia na tentação de acompanhar a cada segundo e minuto acordado. Desconecte-se Um dos grandes desafios da vida moderna é livrar-se da tentação das notificações e mensagens dos celulares e outros dispositivos, que chegam a cada segundo. Depois de trabalhar, estudar e realizar mil tarefas, incluímos em nossos momentos de descanso o uso desses aparelhos, como forma de distração e, às vezes, até como uma maneira de estender as atividades realizadas no escritório para casa. Porém, o uso desses dispositivos antes de dormir pode gerar crises de ansiedade e criar estímulos desnecessários para quem deseja dormir bem. Além disso, como já mencionamos acima, usar o celular na cama ajuda o cérebro a entender que aquele local e aquele momento não são favoráveis ao sono, e isso dificultará o processo. Caso estas alternativas não gerem efeito, é aconselhável que você procure um médico para observar seu estado de saúde. Jamais busque automedicação para resolver este problema. Qualidade de sono é um dos pilares para uma vida saudável, não durma no ponto! Laboratório Vozza: tradição que você conhece aliada ao atendimento humanizado que você precisa

Você já ouviu falar naquela expressão “dormir o sono dos justos?” É aquele sono tranquilo, que revigora e te deixa pronto para um dia superprodutivo. Porém se você sofre de insônia, é algo que você certamente não experimenta há algum tempo. Qualidade de sono leva à saúde e você não precisa conviver com este problema. Confira então 4 formas de acabar com a insônia naturalmente:

 

#Fuja da cama

Isso mesmo, você não entendeu errado. Ao sofrer de insônia, devemos ficar bem longe de nossas camas. Isso porque se não é possível adormecer tranquilamente entre 15 e 20 minutos após nos deitarmos, devemos sair da cama e buscar alguma atividade relaxante, como ler ou tomar um banho.

Quando permanecemos acordados na cama por muito tempo, enviamos ao nosso corpo a mensagem equivocada de que aquele ambiente ou circunstância são próprios para continuarmos despertos. Assim, sempre que você se deitar, vai permanecer acordado.

 

#Encontre técnicas de relaxamento 

Quem sofre de insônia é atingido consequentemente pela ansiedade, que leva à mente os problemas, inquietações e assuntos futuros. Com a mente trabalhando a todo vapor, é impossível adormecer de forma natural e tranquila.

Para driblar essa avalanche de ideias, busque relaxar por meio da prática de ioga, meditação ou até mesmo exercícios de relaxamento muscular, que podem nos levar a um estado de relaxamento, suficiente para adormecer bem.

 

#Esqueça o relógio

Quando tentamos dormir e não conseguimos, sempre começamos a pensar no estado de exaustão em que acordaremos no dia seguinte. Quando sabemos que faltam apenas 2 ou 3 horas para despertarmos e nada do sono chegar, começa a surgir aquela sensação de frustração e desespero.

Para evitar esses sentimentos que prejudicam ainda mais a noite de sono, livre-se dos relógios! Calma, isso não significa desligar o despertador, mas sim tentar eliminar da visão todos os relógios, para que você não caia na tentação de acompanhar a cada segundo e minuto acordado.

 

#Desconecte-se

Um dos grandes desafios da vida moderna é livrar-se da tentação das notificações e mensagens dos celulares e outros dispositivos, que chegam a cada segundo. Depois de trabalhar, estudar e realizar mil tarefas, incluímos em nossos momentos de descanso o uso desses aparelhos, como forma de distração e, às vezes, até como uma maneira de estender as atividades realizadas no escritório para casa.

Porém, o uso desses dispositivos antes de dormir pode gerar crises de ansiedade e criar estímulos desnecessários para quem deseja dormir bem. Além disso, como já mencionamos acima, usar o celular na cama ajuda o cérebro a entender que aquele local e aquele momento não são favoráveis ao sono, e isso dificultará o processo.

Caso estas alternativas não gerem efeito, é aconselhável que você procure um médico para observar seu estado de saúde. Jamais busque automedicação para resolver este problema.

 

Qualidade de sono é um dos pilares para uma vida saudável, não durma no ponto!

Laboratório Vozza: tradição que você conhece aliada ao atendimento humanizado que você precisa

 

 

 

 

 

 

[Novas resoluções] Como começar bem o ano novo com essas 4 dicas

[Novas resoluções] Como começar bem o ano novo com essas 4 dicas

O ano novo vem aí e que tal fazer uma análise na sua rotina e adotar novos hábitos ou manter aquilo que te fez bem em 2017? Pense já na sua lista e confira aqui algumas ideias para tornar tudo ainda melhor e começar bem o ano novo com essas 4 dias.

 

– Reserve tempo para atividades físicas

É sempre um desafio separar um tempo em nossas rotinas para nos dedicarmos aos exercícios e a uma vida mais saudável. Com a facilidade proporcionada pelos meios de transporte, elevadores e até mesmo escadas rolantes, não caminhamos nem ao menos para irmos ao mercado!

Assim, muita gente banaliza a importância de realizar, de forma periódica, algum tipo de atividade física e esquece que os exercícios são importantes para a prevenção de doenças como diabetes, hipertensão e ainda contribuem para o controle da ansiedade e depressão.

Se você usa o transporte público, que tal descer pelo menos um quarteirão antes do trabalho? Ou até mesmo evitar as filas do elevador e das escadas rolantes, tomar fôlego e subir até o andar em que você precisa chegar.

São atitudes simples que preparam nosso corpo e ajudam na adoção de novos hábitos para começar bem o ano novo.

 

– Consumir mais frutas e legumes

Às vezes não sentirmos falta de consumir frutas e legumes, mas nosso corpo sente! Assim, ele começa a dar sinais como fraqueza, queda de cabelo e indisposição. Isso porque além das proteínas e carboidratos presentes em carnes, por exemplo, os legumes são uma poderosa fonte natural de vitaminas e nutrientes.

Eles são essenciais para a manutenção do corpo e uma boa execução de funções vitais.

Para consumi-los com mais frequência, tente cortá-los e separá-los em diversas porções. Você também pode congelar e consumir com alguma proteína, num suflê ou numa salada bem colorida!

 

– Praticar meditação

Toda vez em que você pensa em meditação, você lembra de monges extremamente concentrados sussurrando mantras? Pois saiba que meditação vai muito além disso, e não é relacionada à religião!

Ela é uma condição de concentração e atenção de você para você mesmo, que pode ajudar no controle de doenças físicas e emocionais.

Busque um local tranquilo, ache uma posição confortável e comece a praticar aos poucos. Tente concentrar-se 3 minutos, depois 5 e vá aumentando gradativamente.

Não desista no começo, a meditação exige prática e você precisa acostumar seu corpo e sua mente com esse processo!

  

– Fazer um acompanhamento regular da saúde

Além da alimentação, as pessoas tendem a esquecer de acompanhar sua saúde de forma regular, deixando para ir ao médico ou fazer exames apenas quando apresentam algum sintoma ou percebem algo fora do normal. O problema é que nesse processo tardio algumas doenças já se encontram em um estado mais avançado.

Determine em sua agenda pessoal uma data para agendar e realizar suas consultas. Que tal junho ou dezembro?

Assim, você sabe que todos os anos naquele período você tem um compromisso com você mesmo. Há a opção ainda de usar agendas digitais e aplicativos que enviam alertas a você.

 

 

Aproveite bem as festas e comece 2018 em plenitude com você!

 

Conte com o Laboratório Vozza e cuide de sua saúde!