Sintomas e precauções da H1N1

A H1N1, também chamada de influenza A, é uma forte gripe que já levou cerca de 71 pessoas ao óbito no Brasil. Só até março de 2016, o Ministério da Saúde registrou 188 casos da gripe e confirmou 30 casos de morte relacionadas à doença.

Geralmente confundida com resfriado, a diferença primária está na intensidade dos sintomas e na forma repentina com que aparecem. A doença é resultado da combinação genética do vírus humano da gripe, do vírus da gripe aviária e do vírus da gripe suína, que infectaram porcos simultaneamente.

A gripe H1N1 pode ser transmitida antes mesmo de aparecerem os sintomas. A transmissão acontece por meio da saliva, via aérea, contato direto com os animais contaminados.

Sintomas da H1N1

Comumente confundidos com gripes e resfriados, os sintomas da H1N1 são parecidos com uma gripe normal. No entanto, alguns deles aparecem de forma preocupante, como:

  • Tosse intensa
  • Febre repentina que supera os 38º
  • Dor de cabeça constante
  • Nariz entupido, coriza, espirros frequentes e falta de ar
  • Náuseas e vômitos
  • Diarreia
  • Mal estar geral.

Tratamento da H1N1

Não ha uma forma exata de tratamento para a doença. O objetivo é expelir o vírus do corpo. Neste caso, a ingestão de muita água pode favorecer o processo. Analgésicos e antitérmicos, inalações e limpeza das vias aéreas também podem auxiliar a minimizar os sintomas.

No entanto, vale ressaltar que automedicação não é indicada. Somente um médico poderá definir a melhor receita para cada caso. Isso porque o uso de determinados remédios sem prescrição médica pode facilitar o aparecimento de cespas resistentes aos medicamentos.

H1N1: Como se prevenir

A forma de prevenção mais eficaz contra H1NQ se dá por meio da vacina. São duas vacinas de prevenção do H1N1:

  1. Vacina trivalente: Imuniza contra dois vírus da influenza A e contra uma cepa do vírus da influenza B.
  2. Vacina Tetravalente (ou quadrivalente): Imuniza contra os mesmos indícios da vacina trivalente mais uma segunda cepa do vírus da influenza B, menos frequente no Brasil.

Crianças com idade entre seis meses e cinco anos, idosos com mais de 60 anos e portadores de doenças respiratórias como asma, rinite entre outras, e até mesmo doenças crônicas como a Diabetes, devem ser vacinadas o mais rápido possível.

As principais recomendações para se prevenir ou evitar a transmissão do H1N1 são:

  • Lavar frequentemente as mãos com água e sabão e/ou desinfetá-las com produtos à base de álcool. Principalmente depois de utilizar ou tocar objetos de uso coletivo.
  • Evitar aglomerações, locais fechados e contatos com pessoas doentes.
  • Não compartilhar copos, talheres, maquiagem e demais objetos de uso pessoal.
  • Manter o ambiente bem ventilado.
  • Ingerir bastante liquido, principalmente agua, para hidratar e auxiliar na eliminação de bactérias.

Para saber mais, entre em contato com o Laboratório Vozza!
www.labvozza.com.br / (19) 3733-2400