Novembro Azul: mitos e verdades sobre o câncer de próstata

Novembro Azul: mitos e verdades sobre o câncer de próstata

 

Quando o assunto é câncer de próstata, é normal que surjam dúvidas e até mesmo alguns mitos sobre esta enfermidade. O processo de prevenção e diagnóstico chega a ser um tabu para muitos homens, aumentando a importância do debate sobre o tema. Por isso, vamos sanar aqui algumas dúvidas comuns quando se trata dessa doença.

O câncer de próstata é a segunda maior causa de óbito oncológico nos homens. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), estima-se o surgimento de cerca de 61.200 casos entre 2016 e 2017 no Brasil. Embora os avanços terapêuticos e a conscientização sobre a doença tenham aumentado ao longo dos anos, cerca de 25% dos pacientes morrem atualmente devido à doença, muitos destes diagnosticados em estágios avançados.

A doença se constitui como um dos tipos de câncer mais incidentes no sexo masculino, responsável por 28, 6% dos casos no país, ficando atrás somente do câncer de pele não-melanoma.

Por esta razão, o Novembro Azul utiliza como mote o câncer de próstata a fim de disseminar a conscientização sobre a saúde masculina em suas diversas faces e também esclarecer alguns tabus sobre a sua prevenção e diagnóstico. Confira aqui alguns mitos e verdades sobre a doença:

 

  • O câncer de próstata é uma doença de idoso.

Embora a maior parte dos casos de câncer de próstata diagnosticados atinjam homens com 65 anos ou mais, o que caracteriza uma maior ocorrência em indivíduos com idade avançada, cerca de 40% dos casos são diagnosticados em homens abaixo desta idade.

Diagnósticos abaixo dos 40 anos de idade são raros, mas os mais jovens devem ficar atentos às predisposições familiares e também aos fatores de risco pessoais, como doenças sexualmente transmissíveis.

  • Ter casos da doença na família aumenta o risco de desenvolver a doença. 

A hereditariedade é um dos principais fatores de risco para a doença. Por exemplo, um homem cujo pai teve câncer de próstata é duas vezes mais propenso a desenvolver a doença. Caso possua algum caso na família, o recomendado pela Sociedade Brasileira de Urologia é procurar um urologista a partir dos 45 anos.

 

  • O resultado do exame do antígeno prostático específico ou PSA aumentado é sinal da existência do câncer de próstata.

O exame é o primeiro passo no processo de diagnóstico do câncer. No entanto ele detecta também inflamações, infecções e alargamento da próstata, além do próprio câncer de próstata. Acredita-se que o PSA salva a vida de 1 em cada 39 homens que realizam o exame, pois este identifica a doença nos estágios iniciais.

No entanto, o diagnóstico pelo exame só é eficaz em conjunto com uma avaliação média e o exame de toque retal.

 

  • O câncer de próstata afeta a vida sexual do paciente.

As fibras nervosas que rodeiam a próstata podem ser afetadas em alguns tipos de tratamento contra o câncer. Estas são responsáveis pela capacidade de ereção, portanto a recuperação da função erétil do indivíduo pode depender do tamanho do tumor, tratamento e até mesmo da idade do paciente.

 

  • O câncer de próstata sempre apresenta sintomas.

Caracterizado como um dos tipos de câncer mais assintomáticos, a doença não apresenta sintoma algum durante seu início, quando as chances de cura são de cerca de 90%. Os sinais de câncer de próstata são frequentemente detectados durante um check-up de rotina.  

Os sintomas mais comuns incluem necessidade frequente de urinar, fluxo fraco ou interrompido de urina, dor ou ardor, ejaculação dolorosa, sangue na urina ou no sêmen, entre outros. Caso apresente qualquer um destes sintomas, procure um médico para o diagnóstico assertivo.

 

Cuide-se e fique atento ao processo diagnóstico. O Laboratório Vozza não só apoia esta causa como também disponibiliza os exames necessários para a detecção da doença. Agende seu exame: (19) 3733-2400.