Sintomas do câncer de mama: saiba como identificar

Causado pela multiplicação de células anormais no tecido mamário, o câncer de mama é, atualmente, o tipo de câncer mais comum entre as mulheres no Brasil e no mundo. E apesar das fases iniciais apresentarem apenas alguns sinais sutis, é essencial estar atento aos sintomas do câncer de mama. Assim, é possível garantir um diagnóstico precoce e aumentar as chances de cura.

E para te ajudar a identificar os sintomas do câncer de mama, preparamos este texto especial. Nele vamos esclarecer as principais características e informações sobre essa doença que afeta milhares de pessoas em todo o mundo. Confira!

O que é o câncer de mama?

Como já dissemos, o câncer de mama surge a partir da multiplicação de células anormais nas mamas, que formam um tumor. Esse tumor pode se expandir e atingir a axila ou outros órgãos próximos. É importante lembrar que o câncer de mama possui um alto índice de cura, mas para que isso aconteça é necessário diagnosticá-lo precocemente.

Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), a estimativa de novos casos da doença no Brasil é de 59.770, somente neste ano de 2018.

Quais são os sintomas do câncer de mama?

Nas primeiras fases, o câncer de mama não provoca sintomas muito claros. Mas, à medida que a doença se desenvolve, alguns sinais começam a aparecer. E um dos primeiros sinais que podem surgir é um pequeno caroço na região da mama, que dói ao apertar. Ele pode ser notado através do toque e do autoexame da mama.

Lembre-se de que nem todo nódulo que surge na mama é maligno! Muitos deles são benignos e não representam uma situação de câncer. Por isso, é importante sempre contar com um diagnóstico preciso e a ajuda de um médico.

Além do nódulo, outros sintomas do câncer de mama que se destacam são:

  • Liberação de líquido pelo mamilo, podendo ser sangue
  • Inchaço de toda a mama ou parte dela
  • Vermelhidão na pele
  • Tamanho ou formato diferente das mamas
  • Dores e coceiras frequentes nas mamas ou mamilos
  • Alteração na cor e na forma da aréola

Fatores de risco

 O câncer de mama não é uma doença exclusiva das mulheres. Qualquer pessoa, de qualquer idade, pode desenvolver este tipo de câncer. No entanto, existem alguns fatores que aumentam os riscos da doença. São eles:

  • Mulheres com mais de 50 anos
  • Doença mamária prévia
  • Primeira gravidez após os 30 anos
  • Histórico familiar de câncer de mama
  • Obesidade e sedentarismo
  • Consumo de bebida alcoólica

Apesar dos homens não estarem livres dos sintomas do câncer de mama, podemos considerar esses casos como raros, já que o câncer de mama em homens representa apenas 1% dos casos.

Prevenção

 Podemos dizer que o câncer de mama não pode ser diretamente prevenido. Adotar hábitos saudáveis pode ajudar a diminuir os fatores de risco, no entanto. E como já dissemos, quanto mais cedo diagnosticado, maiores as chances de cura. Por isso, é essencial realizar procedimentos como o autoexame e a mamografia, para tentar diagnosticar a doença o mais precocemente possível.

O autoexame pode começar a ser feito a partir da adolescência, com o crescimento das mamas. O ideal é que seja feito pelo menos uma vez por mês, de preferência no mesmo dia do mês, para que a mulher se familiarize com suas mamas.

Já a mamografia é um exame que deve começar a ser realizado anualmente entre os 40 e 50 anos. Essa é a fase em que começam a surgir as primeiras transformações hormonais nas mulheres.

 

Agora você já sabe o que é a doença, quais são os principais sintomas do câncer de mama, seus fatores de risco e as formas de prevenção, não é mesmo? Então é hora de colocar em prática nossas dicas! Realize os seus exames com laboratórios de qualidade e lembre-se sempre de contar com a ajuda de um médico.

O Laboratório Vozza conta com a estrutura necessária para garantir um diagnóstico assertivo e preciso para você. Confira a nossa linha completa de exames e agende já o seu: http://vozza.com.br/exames/

Saiba como interpretar o resultado do exame de urina

Hemácias, leucócitos, bilirrubina, nitrito, glicose, pH… São tantas informações que até parece impossível interpretar o resultado do exame de urina, não é mesmo?

Mas saiba que analisar o seu exame não é uma tarefa tão complicada assim. E para te ajudar, listamos aqui alguns dos principais dados, informações e substâncias que você irá encontrar na hora de avaliar o seu resultado do exame de urina. Confira!

 

 O exame de urina

Solicitado pelos médicos como um diagnóstico complementar, o exame de urina nos fornece informações muito importantes para analisar a saúde e o bom funcionamento do nosso organismo, principalmente dos órgãos ligados ao sistema urinário.

Hoje, é possível contar com três diferentes tipos de exame de urina: o tipo 1, o exame de urina de 24 horas e o exame de urocultura. O primeiro, também chamado de exame de urina EAS – Elementos Anormais do Sedimento –, é o mais comum e mais solicitado pelos médicos. Por isso, daremos uma atenção especial a ele neste texto!

Através do resultado do exame de urina tipo 1 é possível analisar alguns dados importantes, como o pH e a densidade de nossa urina. Também é possível identificar um número anormal de elementos como hemácias, leucócitos, bilirrubina e glicose, o que pode indicar alguma doença. É válido lembrar também que este é um exame indolor, de simples coleta e que apresenta resultados rápidos.

 

Principais elementos

pH

De um modo geral, o pH da urina é levemente ácido e varia entre 5,5 e 7,0. Valores menores do que esses podem ser causados por uma dieta rica em proteína animal ou por doenças nos túbulos renais. Já os valores maiores que 7,0 no resultado do exame de urina podem indicar a presença de bactérias, que tornam a urina mais alcalina.

 

Densidade

Os valores de referência da densidade da urina variam entre 1,005 e 1,035. Para efeito de comparação, a densidade da água pura é igual a 1,000. Isso significa que, quanto mais próxima de 1,005, mais diluída a urina será. Já no caso contrário, ou seja, uma urina com densidade próxima de 1,035, ela será muito concentrada, indicando desidratação. Nesses casos, ela apresenta uma cor mais amarelada e um odor mais forte.

 

Hemácias

Normalmente, a quantidade de hemácias em nossa urina é desprezível, ao passo de não conseguir ser detectada em um exame. Os valores de referência são: menores que 3 a 5 hemácias por campo do microscópio, ou menos de 10.000 células por mL. Quantidades excessivamente maiores do que essas no resultado do exame de urina podem indicar infecções urinárias, pedras nos rins ou até doenças renais mais graves.

 

Leucócitos

Os leucócitos não costumam constar em um resultado de exame de urina. Eles são as nossas células de defesa e sua presença pode indicar alguma inflamação nas vias urinárias.

 

Glicose

Assim como os leucócitos, a glicose também não costuma estar presente em nossa urina. A sua ocorrência pode indicar que os níveis de glicose no sangue também estão altos. Em geral, pessoas com diabetes ou com doenças nos túbulos renais apresentam evidências de glicose na urina.

 

Nitrito

A nossa urina é naturalmente rica em nitratos. No entanto, existem algumas bactérias capazes de transformar esses nitratos em nitritos. Por isso, a presença de nitritos no resultado do exame de urina pode significar a presença de bactérias e infecções urinárias.

 

Bilirrubina

Em condições normais, a bilirrubina é mais um dos elementos que não costumam aparecer em nossa urina. Ela só aparece realmente quando os seus níveis sanguíneos ultrapassam o valor de 1,5 mg/dL. Índices altos dessa substância podem indicar doenças biliares, hepáticas ou neoplasias.

 

Agora que você já tem uma base para analisar o resultado do exame de sangue, ficou mais fácil cuidar da sua saúde, não é mesmo? Mas não se esqueça: confie sempre no seu médico para que ele possa fazer uma leitura mais aprofundada do seu exame.

E para realizar exames confiáveis e que garantam um diagnóstico preciso, conte com o Laboratório Vozza!

 

Você sabe quais são os principais sintomas da H1N1?

Com características muito semelhantes às da gripe comum, embora muito mais intensas, a H1N1 é uma doença que vem preocupando cada vez mais brasileiros. E com a chegada do frio, os cuidados com a saúde devem ser redobrados. Mas será que você conhece quais são as principais características e sintomas da H1N1?

Neste texto, vamos esclarecer algumas dúvidas acerca dessa doença. Você vai saber o que é, quais são seus sintomas, prevenção, grupos de risco etc. Confira!

 

A Gripe H1N1

Também conhecida como Gripe A ou Gripe Suína, a H1N1 é causada por uma mutação do vírus da gripe comum. Essa doença ficou muito famosa entre 2009 e 2010, época em que ela se espalhou pelo mundo todo. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, 207 países notificaram casos confirmados da doença nesse período. Só no Brasil, entre janeiro e junho de 2018, foram notificadas 243 mortes provocadas pelo vírus H1N1.

A transmissão da Gripe A ocorre, basicamente, da mesma forma que a de uma gripe comum. Ou seja, através de gotículas respiratórias no ar ou do contato com outras pessoas e objetos contaminados. Depois de infectada pelo vírus, uma pessoa pode demorar de um a sete dias para ser capaz de transmiti-lo a outros indivíduos, e de um a quatro dias para começar a sentir os principais sinais da doença.

 

Sintomas da H1N1

Embora a transmissão ocorra do mesmo modo que a de uma gripe comum, os sintomas da H1N1 são muito mais intensos e graves, podendo levar o paciente à morte.

Entre os principais sintomas da H1N1, podemos citar:

  • Febre alta
  • Dores de cabeça e de garganta
  • Dores musculares
  • Fraqueza
  • Cansaço ou fadiga
  • Espirros e coriza
  • Tosse

É recomendado que, ao constatar a frequência de alguns desses sintomas, a pessoa procure ajuda médica e se submeta a exames clínicos.

 

Grupos de risco

Apesar da Gripe H1N1 ser capaz de atingir qualquer tipo de pessoa, existem alguns grupos de risco que estão mais suscetíveis à doença. São eles:

  • Idosos a partir de 60 anos
  • Crianças entre 6 meses e 5 anos
  • População indígena
  • Grávidas a partir de 12 semanas e mães com até 45 dias depois do parto
  • Portadores de doenças crônicas não transmissíveis
  • Trabalhadores da área da saúde

 

Prevenção

Tendo em vista a gravidade dessa doença, manter hábitos saudáveis e prevenir-se é essencial. E a boa notícia é que isso é possível através de algumas simples ações em nosso dia a dia. Beber muita água, por exemplo, é uma ótima forma de não acumular secreções.

Lavar constantemente as mãos com água e sabão ou até mesmo álcool em gel também é outra forma de se prevenir contra a Gripe H1N1. Por fim, não compartilhe objetos de uso pessoal e evite lugares fechados e com muitas pessoas.

 

E lembre-se: confie sempre em seu médico para identificar e analisar os sintomas e conte com o Laboratório Vozza para realizar seus exames!

 

Conheça alguns fatores que podem alterar o resultado do exame de sangue

Conheça alguns fatores que podem alterar o resultado do exame de sangue

O resultado do exame de sangue é uma das maneiras mais eficazes de diagnosticar as condições de saúde nos mais diferentes órgãos do nosso corpo! Seja para verificar os níveis de glicose e colesterol ou mesmo para avaliar a quantidade de glóbulos e plaquetas através de um simples hemograma, os exames de sangue podem nos prevenir contra diversos problemas de saúde.

 

Mas, para garantir resultados precisos e assertivos, é essencial seguir as recomendações médicas e laboratoriais. Afinal, existe um grande número de fatores que podem alterar o resultado do exame de sangue.

 

Por isso, listamos aqui alguns deles para que você fique mais atento para os próximos exames. Confira!

 

Jejum

Uma das recomendações pré-analíticas mais comuns, o jejum serve para que a ingestão de alimentos não interfira na composição sanguínea, evitando assim possíveis alterações no resultado do exame de sangue. Uma refeição dentro do tempo de jejum pode acarretar, entre outras coisas, variações nos níveis de colesterol (de 5 a 10%) e triglicérides (cerca de 20%).

 

Remédios

O uso de determinados medicamentos, como anti-inflamatórios e antibióticos, também é um fator que pode alterar os resultados de um exame de sangue. Dessa forma, se você está fazendo uso de algum medicamento, o ideal é avisar o médico para evitar o erro na interpretação dos valores encontrados.

 

Faixa etária

De uma forma geral, os nossos órgãos vão perdendo determinadas capacidades com o passar dos anos. Os rins, por exemplo, aos poucos perdem a capacidade de eliminar substâncias tóxicas. Por isso, é importante que a idade do paciente também seja levada em conta antes de um exame.

 

Posição

Por incrível que pareça, a posição do nosso corpo enquanto estamos fazendo um exame de sangue também pode interferir em seus resultados! Se estamos deitados e levantamos rapidamente, por exemplo, os níveis de água e de outros elementos como triglicérides, hemoglobina, colesterol e albumina podem sofrer variações de até 10%. Assim, o recomendado é que você permaneça em repouso por, pelo menos, 15 minutos antes do exame.

 

Álcool e Fumo

Se você está com um exame de sangue agendado, o ideal é cortar o consumo de álcool, no mínimo, 72 horas antes da coleta. Isso porque as bebidas alcoólicas agridem nosso fígado e podem alterar significativamente os valores de glicose, triglicérides e ácido lático. Já o fumo pode alterar os níveis de leucócitos, hemácias, colesterol circulante, adrenalina e aldosterona. Por isso, evite fumar por até 3 horas antes do seu exame de sangue.

 

Gênero

Homens e mulheres podem apresentar níveis bastante distintos devido a diversos fatores, como variações de massa muscular, hormonais, metabólicas e outras alterações comuns do ciclo menstrual.

 

Atividade física

Os efeitos das atividades físicas sobre os componentes sanguíneos são transitórios e dependem da intensidade dos exercícios e do condicionamento físico de cada um. Mas, de qualquer forma, esse é um fator que pode interferir no resultado do exame de sangue. Ácido lático, ferro e ácido úrico são alguns dos componentes que podem sofrer variação devido a esforços físicos.

 

Para garantir resultados assertivos e diagnósticos precisos, é preciso confiar em um laboratório de qualidade. Conte com toda a estrutura do Laboratório Vozza para realizar seus exames! Agende pelo WhatsApp (19) 99114.0032 ou pelo telefone (19) 3733.2400

Entenda como é feito e qual a importância do exame toxicológico

Entenda como é feito e qual a importância do exame toxicológico

Quem está prestes a concorrer a uma vaga em um concurso público ou a renovar sua carteira de habilitação nas categorias C, D e E muito provavelmente já ouviu falar em exame toxicológico, certo? Fácil e rápido de fazer, esse tipo de procedimento é solicitado em diversas situações, podendo ser até obrigatório em alguns casos.

Mas, você sabe por que os exames toxicológicos são necessários? Como é feito esse tipo de análise e quais são as substâncias detectadas?

Para solucionar essas e outras questões, preparamos este texto especial. Confira!

 

O exame toxicológico

O exame toxicológico nada mais é do que um procedimento realizado em laboratório e que tem a finalidade de detectar rastros de uso de drogas no organismo.

Assim, é comum que esse tipo de análise seja solicitada em diversos casos, como na contratação de novos funcionários por uma empresa ou na participação em concursos públicos como os da Polícia Civil, Militar e Federal.

Além disso, em 2016 foi instituída a Lei 13.103, popularmente conhecida como a “Lei do Caminhoneiro”, através da qual tornou-se obrigatória a realização de um exame toxicológico na emissão ou renovação das habilitações de motoristas das categorias C, D e E.

Nesses casos, os exames toxicológicos são extremamente importantes, pois ajudam a evitar grande parte dos acidentes em rodovias causados por motoristas sob efeito de drogas.

 

Como é feito o exame toxicológico?

Simples, indolor e minimamente invasiva, essa análise mais comum atualmente é o exame toxicológico de larga janela de detecção. Para sua realização, são necessárias pequenas amostras de queratina, que serão analisadas em laboratório. Essas amostras podem ser um fio de cabelo, pelos do corpo ou até mesmo pedaços de unha.

O exame de larga janela de detecção é bastante vantajoso, já que consegue detectar o consumo de drogas feito até 180 dias antes da coleta! Além disso, o método ainda indica a quantidade da droga utilizada, variando de leve a fortíssima.

A quantidade ingerida costuma interferir diretamente no tempo para ser feita a análise. Mas, de uma forma geral, os resultados são apresentados em um tempo médio de 4 a 10 dias.

 

Quais as drogas detectadas?

Os exames toxicológicos atuais são muito eficazes e conseguem detectar qualquer tipo de droga, sejam elas depressivas, estimulantes ou alucinógenas. Dessa forma, substâncias como ecstasy, cocaína, maconha, opiáceos, heroína, morfina e metanfetamina podem ser detectadas.

 

A importância de um laboratório confiável

Para obter sempre os melhores resultados em um exame toxicológico é essencial contar com um laboratório de qualidade. O Laboratório Vozza é credenciado pelo DENATRAN para realizar esse tipo de exame, garantindo toda a estrutura necessária para a sua análise.

 

Faça hoje mesmo seu exame toxicológico com o Laboratório Vozza!

3 dicas valiosas: saiba como aliviar a TPM

Como se não bastasse a correria do dia a dia, muitas mulheres precisam enfrentar mensalmente a temida tensão pré-menstrual. Um período que as deixa em um estado maior de sensibilidade, atrapalhando inclusive algumas atividades rotineiras. Mas por que isso acontece? Como fazer para amenizar os efeitos “daqueles dias”? Veja aqui 3 dicas valiosas e saiba como aliviar a TPM. O que é e por que as mulheres passam pela TPM? Para entender como funciona e saber como aliviar a TPM é preciso compreender primeiro o ciclo menstrual. Um ciclo menstrual normalmente possui 28 dias, sendo os 14 primeiros o período de ovulação, quando ocorre o aumento dos níveis de estrogênio no corpo da mulher. A partir do 15º começa a preparação para a fecundação. Nesta fase os níveis de estrogênio começam a cair e ao final dos 28 dias ocorrem quedas hormonais bem bruscas. Essa oscilação causa os sintomas físicos e psicológicos da tensão pré-menstrual, aparecendo desconfortos como alterações de humor, dor nos seios, inchaço entre outros. Agora que você já sabe como seu corpo funciona, vamos às dicas! Vitamina da felicidade Você já teve aquela vontade incontrolável de chorar antes e durante o período da menstruação? Às vezes ela vem em momentos inoportunos e deixa você mais vulnerável sem saber como aliviar a TPM, que apesar de ser normal, pode ser atenuada com o consumo de vitamina B6. Alimentos ricos nessa vitamina como carnes (de boi, aves, peixes de água fria), leite e derivados, grãos integrais, batata, feijão, lentilha, grão-de-bico e oleaginosas, são responsáveis pela manutenção e energética e pelo equilíbrio hormonal. Chocolate é preciso! Quem acha que a TPM é apenas uma desculpa para driblar a dieta está muito enganado! O forte desejo por chocolate é na verdade seu corpo mandando sinais, você sabia? Pois é, essa vontade vem da necessidade do organismo em consumir mais magnésio nesse período. E adivinhe só quem é rico em magnésio? Ele mesmo, o chocolate. Mas fique atenta! Não é qualquer chocolate que possui essa propriedade. O chocolate escuro ou meio amargo é o mais rico em magnésio e benéfico para a saúde. Por isso, não basta consumir chocolates ricos em leite e gorduras. Se você deseja evitar o doce, é possível substituir ou conciliar o chocolate amargo com outros alimentos como aveia, milho, lentilha, soja, arroz integral, vegetais verde escuros, avelãs e nozes. Corra do estresse e do baixo astral Os benefícios de praticar atividades físicas são indiscutíveis, mas você sabia que além do aspecto físico eles podem contribuir para a saúde da mulher durante o período de tensão pré-menstrual? Ao praticar exercícios o corpo libera endorfina, hormônio responsável pelo bem-estar, evitando a dor e acalmando a mente. Não precisa sair correndo vários quilômetros, nem pagar mensalidades exorbitantes em academias. Uma caminhada basta para que você comece a sentir os efeitos no seu organismo. Experimente, mexa-se! Além dessas dicas valiosas, não se esqueça de olhar com atenção para seu corpo. Fique atenta a qualquer sinal e procure sempre um especialista. O Laboratório Vozza incentiva todas as mulheres a realizarem exames preventivos Seu corpo, suas regras e seus cuidados. Previna-se!

Como se não bastasse a correria do dia a dia, muitas mulheres precisam enfrentar mensalmente a temida tensão pré-menstrual. Um período que as deixa em um estado maior de sensibilidade, atrapalhando inclusive algumas atividades rotineiras.

Mas por que isso acontece? Como fazer para amenizar os efeitos “daqueles dias”?
Veja aqui 3 dicas valiosas e saiba como aliviar a TPM.

 

O que é e por que as mulheres passam pela TPM? 

Para entender como funciona e saber como aliviar a TPM é preciso compreender primeiro o ciclo menstrual.

Um ciclo menstrual normalmente possui 28 dias, sendo os 14 primeiros o período de ovulação, quando ocorre o aumento dos níveis de estrogênio no corpo da mulher. A partir do 15º começa a preparação para a fecundação. Nesta fase os níveis de estrogênio começam a cair e ao final dos 28 dias ocorrem quedas hormonais bem bruscas.

Essa oscilação causa os sintomas físicos e psicológicos da tensão pré-menstrual, aparecendo desconfortos como alterações de humor, dor nos seios, inchaço entre outros.

Agora que você já sabe como seu corpo funciona, vamos às dicas!

 

Vitamina da felicidade 

Você já teve aquela vontade incontrolável de chorar antes e durante o período da menstruação? Às vezes ela vem em momentos inoportunos e deixa você mais vulnerável sem saber como aliviar a TPM, que apesar de ser normal, pode ser atenuada com o consumo de vitamina B6.

Alimentos ricos nessa vitamina como carnes (de boi, aves, peixes de água fria), leite e derivados, grãos integrais, batata, feijão, lentilha, grão-de-bico e oleaginosas, são responsáveis pela manutenção e energética e pelo equilíbrio hormonal.

 

Chocolate é preciso!

Quem acha que a TPM é apenas uma desculpa para driblar a dieta está muito enganado! O forte desejo por chocolate é na verdade seu corpo mandando sinais, você sabia? Pois é, essa vontade vem da necessidade do organismo em consumir mais magnésio nesse período.

E adivinhe só quem é rico em magnésio? Ele mesmo, o chocolate.

Mas fique atenta! Não é qualquer chocolate que possui essa propriedade. O chocolate escuro ou meio amargo é o mais rico em magnésio e benéfico para a saúde. Por isso, não basta consumir chocolates ricos em leite e gorduras.

Se você deseja evitar o doce, é possível substituir ou conciliar o chocolate amargo com outros alimentos como aveia, milho, lentilha, soja, arroz integral, vegetais verde escuros, avelãs e nozes.

 

Corra do estresse e do baixo astral

Os benefícios de praticar atividades físicas são indiscutíveis, mas você sabia que além do aspecto físico eles podem contribuir para a saúde da mulher durante o período de tensão pré-menstrual?

Ao praticar exercícios o corpo libera endorfina, hormônio responsável pelo bem-estar, evitando a dor e acalmando a mente.

Não precisa sair correndo vários quilômetros, nem pagar mensalidades exorbitantes em academias. Uma caminhada basta para que você comece a sentir os efeitos no seu organismo. Experimente, mexa-se!

 

Além dessas dicas valiosas, não se esqueça de olhar com atenção para seu corpo. Fique atenta a qualquer sinal e procure sempre um especialista.

O Laboratório Vozza incentiva todas as mulheres a realizarem exames preventivos

Seu corpo, suas regras e seus cuidados. Previna-se!

Entenda os sintomas e saiba como tratar a anemia

Entenda os sintomas e saiba como tratar a anemia

 A anemia é um dos distúrbios mais comuns na medicina, ocasionado pela redução do número de glóbulos vermelhos no sangue. Mesmo sendo uma doença recorrente, ela pode causar complicações, e por isso é importante que você observe os sintomas e procure um médico para saber como tratar a anemia.

 

#Causas

A anemia pode ter as causas mais diversas, assim é importante que você fique atento ao seu histórico e o informe ao médico. Com a análise sanguínea correta e um bom bate-papo com um profissional da saúde é possível entender as causas e assim saber como tratar a anemia.

Veja aqui as possíveis causas da anemia:

Deficiência nutritiva: além do conhecido Ferro, a anemia pode ser decorrente de um quadro de deficiência no consumo de outros nutrientes como zinco, vitamina B12 e proteínas.

Gestação: principalmente durante o período de formação neural do bebê, a demanda por ácido fólico aumenta durante a gestão, e por isso pode gerar sua deficiência caso consumido em baixas quantidades, ocasionando anemia, já que o ácido fólico é um importante agente para a produção dos glóbulos vermelhos.

Menstruação: mulheres com o fluxo de menstruação intenso perdem mais sangue, logo, também perdem glóbulos vermelhos. 

Distúrbios intestinais: não basta ingerir, é preciso que seu corpo absorva os nutrientes necessários para manter um bom funcionamento do organismo, e problemas intestinais podem levar à má-absorção, podendo causar também deficiências nutricionais.

Outros fatores fisiológicos: doenças crônicas como câncer e insuficiência renal afetam a produção de glóbulos vermelhos.

#Sintomas 

Agora que você já conhece as possíveis causas, você pode ficar atento a uma possível pré-disposição para anemia. Lembrando que esse distúrbio deve ser devidamente diagnosticado por meio de exames e análises específicas.

Então fique atento, se você se encaixa em uma das condições anteriores e tem sintomas como os listados abaixo procure um médico:\

  • Fadiga;
  • Fraqueza;
  • Pele pálida;
  • Batida cardíaca rápida ou irregular;
  • Falta de ar;
  • Dor no peito;
  • Tontura;
  • Problemas cognitivos;
  • Mãos e pés frios;
  • Dor de cabeça.

#Como tratar a anemia

Há uma série de vitaminas e nutracêuticos que podem ser consumidos com indicação médica para tratar a anemia, porém existem também maneiras naturais de atenuar e cuidar de um quadro de anemia: 

Atenção ao baço: sabe aquela dor do lado superior esquerdo do abdômen, recorrente principalmente durante a realização de atividades físicas como corridas? É seu baço dando sinal de vida! Você sabia que o baço é o órgão responsável pela produção de glóbulos vermelhos? Pois é, cuide dele consumindo vegetais de folhas verdes como couve e acelga.

Consuma alimentos probióticos: esse tipo de alimento ajuda seu intestino a consumir melhor os nutrientes dos alimentos processados.

O astro principal – o Ferro: o nutriente não podia faltar na nossa lista! Invista em alimentos ricos na substância como, fígado, espinafre e acelga.

Reduza o estresse: você sabia que situações de estresse podem afetar o funcionamento do seu baço? E agora que você já sabe qual a importância do órgão na prevenção da anemia, cuide dele, da sua mente e da sua rotina! Diminua o estresse buscando formas alternativas de concentração e redução da ansiedade.

 

Agora que você conhece pontos muito importantes para o diagnóstico, tratamento e prevenção da anemia, fique atento aos sintomas e sua rotina.

 

Não se esqueça também que é importante consultar um médico e realizar um exame de sangue para comprovar o diagnóstico.

 

 

Conte com o Laboratório Vozza e cuide da sua saúde diariamente!

 

 

Proteína C Reativa alta: do exame aos resultados

Proteína C Reativa alta: do exame aos resultados

Existem diversos tipos de análises sanguíneas e entre elas está a de Proteína C Reativa, ou PCR. O exame é realizado normalmente para verificar a ocorrência de infecções e de inflamações, que são detectadas quando são identificados resultados com Proteína C reativa alta.

 

#O que é Proteína C Reativa? 

Ela é uma proteína produzida normalmente pelo fígado, cuja concentração se apresenta elevada em estados de inflamação e infeções. Assim, em pacientes em que a análise sanguínea apresenta Proteína C Reativa alta existe o risco do desenvolvimento ou de um aparente processo inflamatório.

A Proteína C Reativa alta, nada mais é, portanto, que uma resposta do sistema imunológico à existência de infecções como pneumonia, linfomas, pancreatite e apendicite aguda.

 

#Como funciona o exame PCR?

Apesar de muito simples, a análise de PCR é muito eficiente a partir do momento que pode se identificar inflamações ou infecções em sua fase aguda e proporcionar ao paciente uma maior oportunidade de tratamento.

No entanto, a Proteína C Reativa Alta é apenas um indicador da existência de alguma anormalidade no paciente. Afinal, apesar de apresentar em seu diagnóstico os níveis de Proteína C Reativa, o exame é insuficiente para descobrir a verdadeira origem da infecção. Ainda assim, o exame é benéfico à medida que é capaz de detectar mudanças a partir de 2 horas após o início do quadro infeccioso.

Além disso, ele é um excelente indicador dos efeitos de tratamentos, uma vez que consegue identificar mudanças sensíveis nos níveis de Proteína C Reativa, diferentemente de hemogramas baseados na contagem de leucócitos.

 

#Valores de Proteína C Reativa

Os exames devem ser sempre analisados e interpretados por um médico para que o caso de cada paciente possa receber o devido tratamento ou até mesmo uma investigação mais profunda, se necessário.

Existe uma escala básica de análise dos níveis de PCR, mas estes podem ser alterados por fatores como consumo alcoólico, tabagismo e sedentarismo. Por isso, procure sempre o auxílio de um profissional.

Confira abaixo uma escala básica de valores de Proteína C Reativa:

  • Entre 0,3 mg/dL (3 mg/L) e 1,0 mg/dL (10 mg/L) – inflamações de nível mínimo. Exemplo: gengivite ou resfriado.
  • Entre 1,0 mg/dL (10 mg/L) e 4,0 mg/dL (40 mg/dl) – infecções virais mais fortes, como gripe, mononucleose, catapora, etc.
  • Acima de 4,0 mg/dL (40 mg/L) são mais compatíveis com infecção bacteriana.

Agora, ao realizar seus exames de rotina, você vai poder observar se no seu pedido médico consta a análise de Proteína C Reativa.

Mas nada de ficar alarmado(a)! Essa é uma análise bastante solicitada em check-ups, por isso caso seu médico não solicite, verifique com ele a necessidade de realizá-lo.

Ficou curioso sobre como andam seus níveis de Proteína C Reativa?

Conte com o Laboratório Vozza: um laboratório de tradição e com o atendimento mais humanizado da Região Metropolitana da Campinas.

 

Como é feito e para que serve o espermograma

Como é feito e para que serve o espermograma

Os homens em sua maioria têm certa resistência em procurar auxílio médico, seja qual for a questão. Assim, eles acabam deixando de realizar exames essenciais para a saúde como o espermograma. Entenda aqui neste texto qual a sua importância, saiba como é feito e para que serve o espermograma.

 

Saúde sexual e reprodutiva

O espermograma é um exame comumente solicitado por urologistas e profissionais de saúde reprodutiva. Seu objetivo é verificar as condições físicas e químicas do sêmen  humano e as propriedades específicas dos espermatozoides. Dessa forma, é possível identificar a natureza de algum problema de infertilidade e focar em tratamentos.

O exame ajuda ainda a avaliar as funções dos testículos e das glândulas seminais após a vasectomia. Esse é um procedimento que consiste na esterilização do homem impedindo-o de gerar uma gravidez futura. É importante ressaltar que o homem só deve realizá-lo quando tiver certeza. Isso porque apesar de não ser considerado definitivo, a eficácia da reversão pode depender muito do organismo e do tempo decorrido após sua realização.

 

Preparo para o espermograma

O preparo para esse exame não exige jejum. Porém, orientações prévias devem ser observadas de acordo com o objetivo do exame. Geralmente são exigidos de 3 a 5 dias de abstenção sexual e de qualquer tipo de ejaculação para garantir a qualidade e a quantidade do material a ser avaliado, por exemplo. No entanto, se o objetivo do exame for verificar os resultados da vasectomia, esse preparo já não é necessário.

Assim, fique atento ao seu pedido médico e às orientações do laboratório onde realizará o exame.

 

Como é feito 

Quando realizado em laboratório, o espermograma consiste na coleta do sêmen em um frasco esterilizado por meio da masturbação realizada em uma sala especialmente preparada. Para garantir a qualidade da amostra coletada, não é aconselhável colher a amostra em nenhum outro local que não seja o laboratório.

 

Quem deve fazer o exame

O exame deve ser realizado por homens de casais que suspeitam de infertilidade enquanto tentam conceber uma gravidez. O exame ainda pode ser realizado por aqueles que já a tem como uma condição comprovada e para tratá-la precisam conhecer a origem da infertilidade.

Para a concepção de um feto é necessário que um espermatozoide fecunde um óvulo. Para isso, é preciso que ele tenha certas características como uma boa capacidade de movimentação, formato adequado e uma boa capacidade de penetrar no interior do óvulo.

Esses aspectos são observados ao analisar o exame. Isso proporciona que o médico encontre um tratamento mais adequado para solucionar a infertilidade ou a própria dificuldade de concepção.

 

Resultados

A versão de análise de fertilidade masculina é mais fácil e rápida quando comparada a versão feminina do exame.

Entre seus resultados, podem ser observados diversos aspectos de duas formas:

  • Na análise macroscópica (a olho nu), podem ser analisados itens como a quantidade, cor e pH.
  • Já na forma microscópica (com o auxílio de aparelhos de aproximação), é possível detectar a presença de bactérias, glóbulos sanguíneos, além de analisar a morfologia e a capacidade de locomoção desses espermatozoides.

 

Todos esses itens são comparados às condições normais esperadas de um material como esse, e assim são obtidos os resultados.

 

O Laboratório Vozza tem toda a estrutura que você precisa para a realização do espermograma. 
Com total qualidade e discrição, você estará seguro e ainda contará com nosso diagnóstico de qualidade

Agende seu exame:  pelo WhatsApp (19) 99114.0032 ou pelo telefone  (19) 3733.2400

 

Saiba as causas e como tratar a gastrite nervosa

Saiba as causas e como tratar a gastrite nervosa

Você já reparou como nosso estado psicológico reflete em nossa saúde física? Um dia estressante, planos mal sucedidos e problemas familiares refletem-se em enxaquecas, queda de cabelo e, inclusive, em quadros dolorosos de gastrite nervosa! Esse tipo de gastrite é bastante comum, por isso é importante que você saiba as causas e como tratar a gastrite nervosa.

 

Entenda a gastrite nervosa

Os desequilíbrios no campo emocional afetam de forma direta o volume de ácidos em nosso estômago e, consequentemente, diminuem as mucosas responsáveis pelo revestimento e pela prevenção de inflamações do estômago.

Após o aumento no volume de ácido secretado, os indivíduos tendem a se alimentar de forma irregular, devido a falta de apetite, ou até mesmo ao consumir alimentos de fácil deglutição, porém nem tão saudáveis assim.

Por essa razão, sua recuperação exige medidas preventivas e paliativas que misturam tratamento psicológico e reeducação alimentar, o que torna a missão de tratar a gastrite nervosa desafiadora!

 

Sintomas 

O surgimento dos sintomas está bastante atrelado ao estado emocional do paciente, por isso eles podem se apresentar de forma passageira e até mesmo complicar o diagnóstico. Assim, conhecê-los é essencial para identificar e tratar a gastrite nervosa em todos os quadros.

O diagnóstico é realizado através de exames clínicos e de sintomas como:

  • Falta de apetite;
  • Dor de estômago;
  • Má digestão;
  • Náuseas;
  • Azia;
  • Arrotos frequentes.

 

Como tratar a gastrite nervosa 

#Medicação e tratamento psicológico

Para atenuar as dores e as náuseas é recomendado o uso de medicamentos antiácidos sob prescrição médica. Porém, no tratamento da gastrite nervosa indica-se o uso por um curto período para os sintomas físicos.

É adequado que o paciente busque o auxílio de terapias e outros recursos que possam auxiliá-lo na melhoria de seu estado emocional, como meditação, sessões de terapias e técnicas de relaxamento.

O paciente pode contar ainda com calmantes naturais e caseiros como o chá de camomila, que deve ser consumido de 2 a 3 vezes ao dia para ativar seu efeito calmante.

 

#Alimentação

A alimentação está entre os hábitos mais complexos a serem mudados, mas se você precisa tratar a gastrite nervosa é necessário que ocorram mudanças específicas em sua alimentação, pelo menos durante o período de tratamento.

Para tratar, é recomendada uma alimentação rica em frutas e em legumes, livre de gorduras. Dê preferência aos grelhados ou aos assados.

Entre os principais vilões de quem sofre de qualquer tipo de gastrite estão o chocolate, o café, os enlatados, as pimentas, os doces e os carboidratos, por isso, evite esses alimentos.

 

Cuide de sua mente, do seu corpo e, se precisar, conte com o Vozza para a realização dos exames diagnósticos da gastrite nervosa!

 

Ligue  (19) 3733.2400

Ou acesse http://vozza.com.br