Proteína C Reativa alta: do exame aos resultados

Proteína C Reativa alta: do exame aos resultados

Existem diversos tipos de análises sanguíneas e entre elas está a de Proteína C Reativa, ou PCR. O exame é realizado normalmente para verificar a ocorrência de infecções e de inflamações, que são detectadas quando são identificados resultados com Proteína C reativa alta.

 

#O que é Proteína C Reativa? 

Ela é uma proteína produzida normalmente pelo fígado, cuja concentração se apresenta elevada em estados de inflamação e infeções. Assim, em pacientes em que a análise sanguínea apresenta Proteína C Reativa alta existe o risco do desenvolvimento ou de um aparente processo inflamatório.

A Proteína C Reativa alta, nada mais é, portanto, que uma resposta do sistema imunológico à existência de infecções como pneumonia, linfomas, pancreatite e apendicite aguda.

 

#Como funciona o exame PCR?

Apesar de muito simples, a análise de PCR é muito eficiente a partir do momento que pode se identificar inflamações ou infecções em sua fase aguda e proporcionar ao paciente uma maior oportunidade de tratamento.

No entanto, a Proteína C Reativa Alta é apenas um indicador da existência de alguma anormalidade no paciente. Afinal, apesar de apresentar em seu diagnóstico os níveis de Proteína C Reativa, o exame é insuficiente para descobrir a verdadeira origem da infecção. Ainda assim, o exame é benéfico à medida que é capaz de detectar mudanças a partir de 2 horas após o início do quadro infeccioso.

Além disso, ele é um excelente indicador dos efeitos de tratamentos, uma vez que consegue identificar mudanças sensíveis nos níveis de Proteína C Reativa, diferentemente de hemogramas baseados na contagem de leucócitos.

 

#Valores de Proteína C Reativa

Os exames devem ser sempre analisados e interpretados por um médico para que o caso de cada paciente possa receber o devido tratamento ou até mesmo uma investigação mais profunda, se necessário.

Existe uma escala básica de análise dos níveis de PCR, mas estes podem ser alterados por fatores como consumo alcoólico, tabagismo e sedentarismo. Por isso, procure sempre o auxílio de um profissional.

Confira abaixo uma escala básica de valores de Proteína C Reativa:

  • Entre 0,3 mg/dL (3 mg/L) e 1,0 mg/dL (10 mg/L) – inflamações de nível mínimo. Exemplo: gengivite ou resfriado.
  • Entre 1,0 mg/dL (10 mg/L) e 4,0 mg/dL (40 mg/dl) – infecções virais mais fortes, como gripe, mononucleose, catapora, etc.
  • Acima de 4,0 mg/dL (40 mg/L) são mais compatíveis com infecção bacteriana.

Agora, ao realizar seus exames de rotina, você vai poder observar se no seu pedido médico consta a análise de Proteína C Reativa.

Mas nada de ficar alarmado(a)! Essa é uma análise bastante solicitada em check-ups, por isso caso seu médico não solicite, verifique com ele a necessidade de realizá-lo.

Ficou curioso sobre como andam seus níveis de Proteína C Reativa?

Conte com o Laboratório Vozza: um laboratório de tradição e com o atendimento mais humanizado da Região Metropolitana da Campinas.

 

Como é feito e para que serve o espermograma

Como é feito e para que serve o espermograma

Os homens em sua maioria têm certa resistência em procurar auxílio médico, seja qual for a questão. Assim, eles acabam deixando de realizar exames essenciais para a saúde como o espermograma. Entenda aqui neste texto qual a sua importância, saiba como é feito e para que serve o espermograma.

 

Saúde sexual e reprodutiva

O espermograma é um exame comumente solicitado por urologistas e profissionais de saúde reprodutiva. Seu objetivo é verificar as condições físicas e químicas do sêmen  humano e as propriedades específicas dos espermatozoides. Dessa forma, é possível identificar a natureza de algum problema de infertilidade e focar em tratamentos.

O exame ajuda ainda a avaliar as funções dos testículos e das glândulas seminais após a vasectomia. Esse é um procedimento que consiste na esterilização do homem impedindo-o de gerar uma gravidez futura. É importante ressaltar que o homem só deve realizá-lo quando tiver certeza. Isso porque apesar de não ser considerado definitivo, a eficácia da reversão pode depender muito do organismo e do tempo decorrido após sua realização.

 

Preparo para o espermograma

O preparo para esse exame não exige jejum. Porém, orientações prévias devem ser observadas de acordo com o objetivo do exame. Geralmente são exigidos de 3 a 5 dias de abstenção sexual e de qualquer tipo de ejaculação para garantir a qualidade e a quantidade do material a ser avaliado, por exemplo. No entanto, se o objetivo do exame for verificar os resultados da vasectomia, esse preparo já não é necessário.

Assim, fique atento ao seu pedido médico e às orientações do laboratório onde realizará o exame.

 

Como é feito 

Quando realizado em laboratório, o espermograma consiste na coleta do sêmen em um frasco esterilizado por meio da masturbação realizada em uma sala especialmente preparada. Para garantir a qualidade da amostra coletada, não é aconselhável colher a amostra em nenhum outro local que não seja o laboratório.

 

Quem deve fazer o exame

O exame deve ser realizado por homens de casais que suspeitam de infertilidade enquanto tentam conceber uma gravidez. O exame ainda pode ser realizado por aqueles que já a tem como uma condição comprovada e para tratá-la precisam conhecer a origem da infertilidade.

Para a concepção de um feto é necessário que um espermatozoide fecunde um óvulo. Para isso, é preciso que ele tenha certas características como uma boa capacidade de movimentação, formato adequado e uma boa capacidade de penetrar no interior do óvulo.

Esses aspectos são observados ao analisar o exame. Isso proporciona que o médico encontre um tratamento mais adequado para solucionar a infertilidade ou a própria dificuldade de concepção.

 

Resultados

A versão de análise de fertilidade masculina é mais fácil e rápida quando comparada a versão feminina do exame.

Entre seus resultados, podem ser observados diversos aspectos de duas formas:

  • Na análise macroscópica (a olho nu), podem ser analisados itens como a quantidade, cor e pH.
  • Já na forma microscópica (com o auxílio de aparelhos de aproximação), é possível detectar a presença de bactérias, glóbulos sanguíneos, além de analisar a morfologia e a capacidade de locomoção desses espermatozoides.

 

Todos esses itens são comparados às condições normais esperadas de um material como esse, e assim são obtidos os resultados.

 

O Laboratório Vozza tem toda a estrutura que você precisa para a realização do espermograma. 
Com total qualidade e discrição, você estará seguro e ainda contará com nosso diagnóstico de qualidade

Agende seu exame:  pelo WhatsApp (19) 99114.0032 ou pelo telefone  (19) 3733.2400

 

Saiba as causas e como tratar a gastrite nervosa

Saiba as causas e como tratar a gastrite nervosa

Você já reparou como nosso estado psicológico reflete em nossa saúde física? Um dia estressante, planos mal sucedidos e problemas familiares refletem-se em enxaquecas, queda de cabelo e, inclusive, em quadros dolorosos de gastrite nervosa! Esse tipo de gastrite é bastante comum, por isso é importante que você saiba as causas e como tratar a gastrite nervosa.

 

Entenda a gastrite nervosa

Os desequilíbrios no campo emocional afetam de forma direta o volume de ácidos em nosso estômago e, consequentemente, diminuem as mucosas responsáveis pelo revestimento e pela prevenção de inflamações do estômago.

Após o aumento no volume de ácido secretado, os indivíduos tendem a se alimentar de forma irregular, devido a falta de apetite, ou até mesmo ao consumir alimentos de fácil deglutição, porém nem tão saudáveis assim.

Por essa razão, sua recuperação exige medidas preventivas e paliativas que misturam tratamento psicológico e reeducação alimentar, o que torna a missão de tratar a gastrite nervosa desafiadora!

 

Sintomas 

O surgimento dos sintomas está bastante atrelado ao estado emocional do paciente, por isso eles podem se apresentar de forma passageira e até mesmo complicar o diagnóstico. Assim, conhecê-los é essencial para identificar e tratar a gastrite nervosa em todos os quadros.

O diagnóstico é realizado através de exames clínicos e de sintomas como:

  • Falta de apetite;
  • Dor de estômago;
  • Má digestão;
  • Náuseas;
  • Azia;
  • Arrotos frequentes.

 

Como tratar a gastrite nervosa 

#Medicação e tratamento psicológico

Para atenuar as dores e as náuseas é recomendado o uso de medicamentos antiácidos sob prescrição médica. Porém, no tratamento da gastrite nervosa indica-se o uso por um curto período para os sintomas físicos.

É adequado que o paciente busque o auxílio de terapias e outros recursos que possam auxiliá-lo na melhoria de seu estado emocional, como meditação, sessões de terapias e técnicas de relaxamento.

O paciente pode contar ainda com calmantes naturais e caseiros como o chá de camomila, que deve ser consumido de 2 a 3 vezes ao dia para ativar seu efeito calmante.

 

#Alimentação

A alimentação está entre os hábitos mais complexos a serem mudados, mas se você precisa tratar a gastrite nervosa é necessário que ocorram mudanças específicas em sua alimentação, pelo menos durante o período de tratamento.

Para tratar, é recomendada uma alimentação rica em frutas e em legumes, livre de gorduras. Dê preferência aos grelhados ou aos assados.

Entre os principais vilões de quem sofre de qualquer tipo de gastrite estão o chocolate, o café, os enlatados, as pimentas, os doces e os carboidratos, por isso, evite esses alimentos.

 

Cuide de sua mente, do seu corpo e, se precisar, conte com o Vozza para a realização dos exames diagnósticos da gastrite nervosa!

 

Ligue  (19) 3733.2400

Ou acesse http://vozza.com.br

Hanseníase e o Janeiro Roxo de alerta

Hanseníase e o Janeiro Roxo de alerta

Dando continuidade a série de meses temáticos em prol da atenção e conscientização, chegamos ao Janeiro Roxo: mês de alerta sobre a Hanseníase! Mas você sabe o que é, suas causas e tratamentos?

Antes de criar conceitos ou uma visão sobre o assunto, vamos conhecer um pouco mais sobre como ocorre a Hanseníase.

 

#O que é?

A Hanseníase, também conhecida como Lepra, é uma doença crônica infectocontagiosa que atinge a pele e os nervos periféricos, responsáveis pela sensibilidade da pele. Ela é datada como uma das doenças mais antigas responsável por prejudicar a população.

Sem o devido tratamento, a doença pode levar a sérias complicações como cegueira, disfunção erétil, fraqueza muscular e falência renal.

 

#Causas e prevenção

A doença é causada por uma bactéria chamada bacilo de Hansen, que penetra no organismo pelas vias respiratórias ou por secreções. Porém, é preciso ficar atento, pois o aparecimento dos sintomas pode ser bastante lento, demorando de 2 a 5 anos para aparecer.

A contaminação pode ocorrer ainda sob condições de higiene inadequadas ou o contato íntimo com o portador que não receber o devido tratamento, isto é, apesar da contaminação se realizar pelas vias respiratórias, sua transmissão é um pouco mais complexa do que o vírus da gripe, por exemplo. Ela exige contato prolongado com a pessoa infectada, atingindo mais amigos próximos e familiares.

Há também a possibilidade de transmissão do vírus através da pele, mas caso o portador esteja realizando tratamento, não há risco de contaminação.

 

#Tratamento

Antes de partir para o tratamento, o primeiro passo é a prevenção. E para Hanseníase é importante garantir que seu sistema imunológico esteja fortalecido para combater possíveis infecções.

Para tratar a bactéria, o paciente deve fazer tratamento com medicamentos e obrigatoriamente ser assistido por um médico, pois além de ser importante para a eficácia do tratamento, é fundamental para segurança do paciente à medida que esse pode gerar complicações.

 

#Mitos e verdades

Hanseníase tem cura?

VERDADE: Após receber o devido tratamento, o paciente consegue ter seu estado de saúde reestabelecido após alguns meses, dependendo do caso.

A doença pode levar a óbito?

MITO: Durante alguns anos, sem o devido diagnóstico e tratamento, ocorriam casos em que os pacientes não resistissem devido às complicações geradas pela Hanseníase, mas hoje, com as possibilidades de um diagnóstico assertivo e com tratamentos mais modernos e eficazes, isso não ocorre.

As manchas na pele são o único sintoma da doença?  

MITO: Embora, as manchas na pele sejam um sinal de alerta para o diagnóstico da Hanseníase, elas não devem ser observadas isoladamente. As manchas de tonalidade clara, branca, ou levemente avermelhadas devem ser analisadas em conjunto com a queda de pelos e diminuição da sensibilidades nesses locais, como ocorre numa anestesia local.

 

Informação é tudo: previna-se e cuide com o devido respeito e atenção de quem você mais ama.

O Laboratório Vozza apoia a prevenção e a conscientização sobre a Hanseníase.

Saúde no verão: 6 dicas de como aproveitar bem a estação

Saúde no verão: 6 dicas de como aproveitar bem a estação

Estação de sol, férias e altas temperaturas, o verão é o queridinho dos brasileiros, e por aqui ele começa no dia 21 de dezembro! Mas como em qualquer outra época do ano é importante ficar atento para não se descuidar da saúde no verão. Veja aqui 6 dicas de como aproveitar ao máximo a estação.

 

Hidrate-se

Com as altas temperaturas é normal perdermos muita água e sais minerais devido a transpiração. Alguns dos sintomas da desidratação são dor de cabeça, tontura e boca seca. Mas antes que eles apareçam, é essencial realizar a reposição de líquido ingerindo pelo menos 2 litros diários de água mineral. Outra boa e deliciosa opção para garantir mais saúde no verão e hidratar-se, é consumir água de coco ou bebidas isotônicas.

Além disso, quem não gosta daquela cervejinha ou caipirinha para se “refrescar” durante os dias quentes de férias? Mas atenção, fique atento ao consumo excessivo de álcool, pois ele expulsa a água das células, provocando a desidratação. Se beber, procure hidratar-se sempre que possível. Além de bem hidratado, você evita aquela ressaca indesejada!

 

Cuidados com o sol

Além de elevar a temperatura corporal e ocasionar maior perda de líquido, a alta exposição solar é um fator de muita atenção para garantir um pleno estado de saúde no verão. Procure tomar sol antes das 10 horas da manhã e após as 16 horas, pois são nestes períodos os raios solares estão menos intensos, o que consequentemente diminui os riscos de sofrer insolação.

Mas tomar cuidado apenas com a exposição não basta, aplique SEMPRE o filtro solar mesmo naqueles dias em que o sol esteja entre nuvens, pois ainda sim ocorre incidência de raios solares.

 

Alimentação

Você já reparou que no verão temos tendência a sentir menos apetite do que nas estações com temperaturas mais amenas? Isso porque com o calor nosso metabolismo desacelera e consequentemente, o mesmo ocorre com o nosso processo digestivo. Assim, é recomendável priorizar o consumo de alimentos mais leves e frescos, e de preferência suculentos, isto é, ricos em água.

Assim você evita uma indigestão ou intoxicações alimentares, também muito comuns nesta época do ano!

Caso precise comer fora de casa, prefira os produtos industrializados, já que seguem um padrão de qualidade mais rigoroso.

  

Na moda do verão

Outro fator importante é a vestimenta. Aposte em roupas frescas e claras, isso porque tecidos escuros tendem a absorver o calor. Evite tecidos sintéticos e invista em chapéus, bonés, e óculos escuros. Não é só uma questão de estilo, mas também de saúde e conforto!

 

Na água

Muitas pessoas se preocupam muito com os preparativos para viagem, e esquecem totalmente os perigos das atrações principais do verão: mar, piscina e rio! Nestes ambientes o cuidado deve ser redobrado com as crianças para evitar afogamentos, mas o mesmo vale para os adultos. Não entre na água após refeições, nem após o consumo de uma quantidade excessiva de álcool.

Não ultrapasse seus limites nem faça nenhum tipo de atividade perigosa, principalmente se você não soube nadar.

 

Faça um check-up

Para aproveitar suas férias com mais tranquilidade, programe-se para fazer um check-up e conferir como anda sua saúde. Assim, você pode tomar mais cuidado com a alimentação, por exemplo, e ficar em dia com sua saúde no verão.

 

 

Desfrute do verão com tranquilidade e bem-estar.

Para isso, conte com o Vozza e agende seu exame: (19) 3733-2400.

 

 

Tipos de diabetes: como evitar e como tratar

Tipos de diabetes: como evitar e como tratar

A diabetes é uma doença silenciosa, que pode levar anos para se manifestar. Nos últimos dez anos o número de casos dobrou no país, atingindo pacientes de todas as idades e acentuando-se entre a meia idade e a velhice. O aparecimento de vários tipos de diabetes possui diversos fatores associados, como o histórico familiar, alimentação e até mesmo fatores emocionais.

Descubra aqui o que é, como evitar e como tratar alguns tipos de diabetes:

 

Diabetes: o que é?

A doença se caracteriza como uma síndrome metabólica causada pela dificuldade do pâncreas em produzir insulina. Ela pode ser causada também pela incapacidade da substância de cumprir com sua função. Essas duas situações ocasionam o aumento dos níveis de açúcar no sangue (glicose). A diabetes é uma doença crônica que pode ser diagnosticada por meio de exames de sangue. Ela precisa ser tratada a longo prazo e muitas vezes não há a possibilidade de cura.

 

Tipos de diabetes

Existem vários tipos de diabetes. A possibilidade de cura varia de acordo com sua classificação. Entenda como ocorrem alguns tipos de diabetes:

  • Pré-diabetes – é um estado no qual o indivíduo possui propensão a desenvolver diabetes a qualquer momento de sua vida. Isso caracteriza-se como um nível intermediário entre o estado saudável e a diabetes tipo 2.
  • Diabetes tipo 1- neste caso há uma predisposição genética ou uma deficiência do organismo em produzir insulina corretamente. O Tipo 1 não apresenta pré-diabetes, podendo se desenvolver em qualquer idade.
  • Diabetes tipo 2- também conhecida como resistência à insulina, a diabetes tipo 2 combina a deficiência na ação da substância ou a ausência de sua secreção. Ela pode ser tratada com medicamentos, mas existe a possibilidade de agravamento ao longo da vida.
  • Diabetes gestacional – como o próprio nome já sugere, a diabetes gestacional ocorre durante a gravidez, podendo ou não permanecer no pós-parto. Ainda não há uma explicação concreta sobre por quais motivos o nível de glicose cresce durante este período. Isso pode estar relacionado a algum tipo de resistência à insulina.

 

Tratamento

Assim como o aparecimento, o tratamento varia também de acordo com os tipos de diabetes. Para o Tipo 1, utiliza-se a aplicação de insulina de 2 a 3 vezes ao dia; no Tipo 2, o indivíduo consome medicamentos hipoglicemiantes, que colaboram para o controle e a produção de insulina pelo pâncreas. No diabetes gestacional, às vezes é necessário fazer a ingestão de insulina. Porém seja qual for o tipo de diabetes, o tratamento envolve além do consumo de medicamentos, uma dieta controlada. Essa dieta pode ser associada a alimentos como farinha de casca de maracujá e linhaça, para o controle glicêmico.

 

Prevenção

Melhor do que tratar é prevenir sempre que possível. Por isso, aqui vão algumas dicas para evitar o aparecimento da diabetes:

  • Pratique atividade física regularmente e controle o seu peso, bem como a pressão arterial;
  • Fuja de uma dieta rica em açúcares e gorduras;
  • Fique atento a sua rotina e certos hábitos. O stress e o alcoolismo afetam diretamente o surgimento de diabetes;
  • Considere sempre seu histórico familiar e realize exames regularmente para acompanhar os níveis de glicemia.

 

Não seja surpreendido e antecipe-se na prevenção do diabetes! Conte com o Vozza e agende seu exame: (19) 3733-2400.

 

 

Novembro Azul: mitos e verdades sobre o câncer de próstata

Novembro Azul: mitos e verdades sobre o câncer de próstata

 

Quando o assunto é câncer de próstata, é normal que surjam dúvidas e até mesmo alguns mitos sobre esta enfermidade. O processo de prevenção e diagnóstico chega a ser um tabu para muitos homens, aumentando a importância do debate sobre o tema. Por isso, vamos sanar aqui algumas dúvidas comuns quando se trata dessa doença.

O câncer de próstata é a segunda maior causa de óbito oncológico nos homens. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), estima-se o surgimento de cerca de 61.200 casos entre 2016 e 2017 no Brasil. Embora os avanços terapêuticos e a conscientização sobre a doença tenham aumentado ao longo dos anos, cerca de 25% dos pacientes morrem atualmente devido à doença, muitos destes diagnosticados em estágios avançados.

A doença se constitui como um dos tipos de câncer mais incidentes no sexo masculino, responsável por 28, 6% dos casos no país, ficando atrás somente do câncer de pele não-melanoma.

Por esta razão, o Novembro Azul utiliza como mote o câncer de próstata a fim de disseminar a conscientização sobre a saúde masculina em suas diversas faces e também esclarecer alguns tabus sobre a sua prevenção e diagnóstico. Confira aqui alguns mitos e verdades sobre a doença:

 

  • O câncer de próstata é uma doença de idoso.

Embora a maior parte dos casos de câncer de próstata diagnosticados atinjam homens com 65 anos ou mais, o que caracteriza uma maior ocorrência em indivíduos com idade avançada, cerca de 40% dos casos são diagnosticados em homens abaixo desta idade.

Diagnósticos abaixo dos 40 anos de idade são raros, mas os mais jovens devem ficar atentos às predisposições familiares e também aos fatores de risco pessoais, como doenças sexualmente transmissíveis.

  • Ter casos da doença na família aumenta o risco de desenvolver a doença. 

A hereditariedade é um dos principais fatores de risco para a doença. Por exemplo, um homem cujo pai teve câncer de próstata é duas vezes mais propenso a desenvolver a doença. Caso possua algum caso na família, o recomendado pela Sociedade Brasileira de Urologia é procurar um urologista a partir dos 45 anos.

 

  • O resultado do exame do antígeno prostático específico ou PSA aumentado é sinal da existência do câncer de próstata.

O exame é o primeiro passo no processo de diagnóstico do câncer. No entanto ele detecta também inflamações, infecções e alargamento da próstata, além do próprio câncer de próstata. Acredita-se que o PSA salva a vida de 1 em cada 39 homens que realizam o exame, pois este identifica a doença nos estágios iniciais.

No entanto, o diagnóstico pelo exame só é eficaz em conjunto com uma avaliação média e o exame de toque retal.

 

  • O câncer de próstata afeta a vida sexual do paciente.

As fibras nervosas que rodeiam a próstata podem ser afetadas em alguns tipos de tratamento contra o câncer. Estas são responsáveis pela capacidade de ereção, portanto a recuperação da função erétil do indivíduo pode depender do tamanho do tumor, tratamento e até mesmo da idade do paciente.

 

  • O câncer de próstata sempre apresenta sintomas.

Caracterizado como um dos tipos de câncer mais assintomáticos, a doença não apresenta sintoma algum durante seu início, quando as chances de cura são de cerca de 90%. Os sinais de câncer de próstata são frequentemente detectados durante um check-up de rotina.  

Os sintomas mais comuns incluem necessidade frequente de urinar, fluxo fraco ou interrompido de urina, dor ou ardor, ejaculação dolorosa, sangue na urina ou no sêmen, entre outros. Caso apresente qualquer um destes sintomas, procure um médico para o diagnóstico assertivo.

 

Cuide-se e fique atento ao processo diagnóstico. O Laboratório Vozza não só apoia esta causa como também disponibiliza os exames necessários para a detecção da doença. Agende seu exame: (19) 3733-2400.

 

Dieta: como emagrecer com saúde?

Fazer uma dieta exige cuidado! Veja a seguir dicas importantes para você saber como emagrecer com saúde.

O verão está chegando e nesta época é muito comum as pessoas começarem a se preocupar mais com o corpo. A perda de peso é o resultado da combinação de fatores que envolvem muita disciplina. Iniciar uma dieta pode ser o primeiro passo para você emagrecer com saúde!

Mais do que a restrição de certos alimentos, a dieta envolve a mudança de hábitos. Com ela você aprende a se alimentar corretamente e de acordo com as necessidades do seu corpo. É por isso que para realizar uma dieta deve-se levar em conta diversos fatores.

Dieta e acompanhamento profissional de um nutricionista

O ideal para uma pessoa emagrecer com saúde é sempre contar com acompanhamento de um nutricionista. Este profissional será capaz de desenvolver uma dieta específica para o paciente, respeitando suas limitações, necessidades e preferências.

Ao planejar uma dieta, o nutricionista analisa aspectos como o histórico clínico e familiar, verifica se o paciente possui alguma intolerância alimentar ou se toma algum tipo medicamento, entre outros fatores. Esta análise ainda inclui a solicitação de exames laboratoriais como o hemograma, glicemia e de taxa de colesterol.

Através destas análises, o profissional portanto será capaz de compreender melhor o comportamento do corpo do paciente. Por isso, a dieta feita com um nutricionista além de ser muito mais efetiva no alcance dos resultados almejados, é a melhor forma de emagrecer com saúde.

Dicas simples para emagrecer com saúde

Embora a dieta deva ser desenvolvida por um profissional de acordo com as necessidades de cada pessoa, algumas dicas simples podem ajudar a emagrecer com saúde. Estes hábitos podem ser adotados por qualquer um e ajudam a ter muito mais qualidade de vida! Saiba quais são eles:

1) Tenha horários regulares para comer:

Seu corpo tem um ritmo chamado circadiano que é um período de 24 horas baseado no ciclo biológico. Ele envolve o apetite, a digestão e o metabolismo da gordura. Manter uma rotina de alimentação com horários regulares ajuda a manter esse mecanismo em funcionamento, regulando a fome e evitando o descontrole.

2) Beba muita água:

A água é uma importante aliada para emagrecer com saúde. Quando tomada antes da refeição, ela ajuda com a sensação de saciedade fazendo a pessoa comer menos. Além disso, os sais minerais presentes na água ajudam a eliminar substâncias não utilizadas pelo organismo.

3) Pratique exercícios físicos regularmente:

Busque uma atividade física que seja do seu agrado e torne ela um hábito! O ideal é que a prática seja realizada pelo menos 3 vezes por semana. No seu dia a dia, algumas tarefas também podem se tornar um ótimo exercício! Que tal parar uma quadra antes do seu escritório e caminhar um pouco? Você também pode trocar o elevador pelas escadas. São pequenas atitudes que podem te ajudar a emagrecer de forma saudável.

4) Conte com o apoio de amigos e familiares!

Você pode convidar outras pessoas para terem uma vida com mais saúde e como resultado ainda perderem peso! Chame um amigo ou alguém da sua família para ter uma rotina mais saudável tanto na alimentação como na prática de exercícios.

Vai fazer uma dieta com um nutricionista? Conte com o Laboratório Vozza para fazer seus exames!

Outubro Rosa: saiba mais o sobre o câncer de mama

O câncer de mama é um dos tipos mais comuns da doença entre as mulheres. De acordo com o INCA (Instituto Nacional do Câncer), apenas em 2016 foram mais de 57 mil novos casos. Saiba mais sobre o câncer de mama e entenda a importância do diagnóstico precoce.

A doença

O câncer de mama se caracteriza pela multiplicação de células anormais do tecido mamário. São células que sofreram mutações genéticas e por isso adquiriram características anormais.

O corpo humano naturalmente substitui as células antigas por células novas e saudáveis. Porém, as células que sofrem alguma mutação genética passam a se proliferar de maneira rápida e desordenada, formando um tumor.

O tumor chamado benigno não causa nenhum perigo para a saúde. Suas células têm uma aparência próxima a normal e não se espalham para outras partes do corpo, não sendo consideradas cancerígenas.

Já o tumor chamado maligno tem potencial de causar danos a saúde e se espalhar pelo corpo. O câncer de mama é um tumor maligno que pode ou não invadir outros pontos do organismo.

A importância de se detectar o tumor precocemente

O diagnóstico do câncer de mama só pode ser confirmado após a biópsia do tumor. Porém, detectar o tumor precocemente é um fator importante para o tratamento. Estima-se que 95% dos casos diagnosticados no início têm possibilidade de cura.

O tamanho do tumor e a sua capacidade de se espalhar são decisivos. A detecção da doença quando feita no início, quando se identifica o tumor nas suas primeiras fases, aumenta as chances de cura e torna o tratamento menos agressivo.

Como detectar o câncer de mama?

Realizar os exames de rastreamento regularmente é a forma mais eficaz de detectar o câncer de mama precocemente. O objetivo destes exames é encontrar o câncer antes mesmo de ele causar sintomas. Veja quais são:

  • Exame clínico das mamas: Este exame é realizado pelo próprio médico ginecologista ou outro profissional da saúde treinado.
  • Mamografia: Exame específico para detectar alterações da mama em estágios iniciais. Indicado para mulheres acima dos 40 anos.
  • Autoexame: Pode ser realizado pela mulher mensalmente após a menstruação.

O autoexame: como fazer

Aproximadamente 80% dos tumores são descobertos pela própria mulher. Ao realizar o autoexame você deverá procurar por caroços, protuberâncias ou retrações da pele e do bico do seio ou ainda secreções dos mamilos. Saiba como fazer:

1) Em pé e de frente para um espelho, coloque uma mão atrás da cabeça. Com os dedos da outra mão, realize movimentos circulares por toda a mama até chegar à axila.

2) Com os braços abaixados ao longo do corpo, observe o aspecto das suas mamas. 3) Levante os braços, colocando as mãos na cabeça, e veja se ocorre alguma mudança no contorno.

3) Para finalizar, aperte o mamilo delicadamente e observe se sai qualquer secreção.

Lembramos que a constatação de alterações não indicam necessariamente a existência de câncer.

outubro rosa

Tenha hábitos saudáveis!

Adotar hábitos saudáveis também é muito importante para reduzir o risco de câncer de mama. O fumo e o álcool estão entre os itens que devem ser evitados! É indicado que a mulher tenha uma alimentação saudável e pratique atividade física regularmente.

Consulte sempre seu médico e conte com o Laboratório Vozza para realizar seu exames!

6 dúvidas sobre exames laboratoriais

Quando o médico solicita os exames laboratoriais, é natural que o paciente tenha alguns questionamentos antes de realizá-los. Pensando nisso, o Vozza selecionou 6 dúvidas sobre exames para você ficar sabendo de tudo antes mesmo de ir ao laboratório. Vamos lá?

1) Posso fazer a coleta da urina em casa?

A urina deve ser coletada preferencialmente no laboratório. Isso porque é necessário que sejam seguidas algumas orientações que evitam que a amostra seja rejeitada e não possa ser usada para a análise.

Algumas questões importantes são a higiene e assepsia durante a coleta (evitando a contaminação da amostra), assim como o transporte. Outra questão é que o primeiro jato deve ser desprezado. Isso faz com que o material represente exatamente o que está na bexiga, não sendo comprometido por fatores como uma inflamação da uretra.

Saiba mais aqui: http://vozza.com.br/saiba-tudo-sobre-o-exame-de-urina/

2) Posso fazer exame de sangue com febre?

Algumas pessoas ficam preocupadas em realizar exames de sangue quando estão gripadas, resfriadas ou com febre. Muitas vezes esse tipo de exame é justamente solicitado para o médico para verificar o que está causando a doença.

Porém, a doença interfere no resultado do exame caso o objetivo seja outro. Exames laboratoriais que avaliam aspectos metabólicos e imunológicos, por exemplo, podem ter os resultados alterados pela febre. Desta forma, é fundamental conversar com o médico e informar o laboratório antes de realizar o exame.

3) A menstruação pode interferir nos exames?

No caso do exames de urina, a menstruação pode interferir sim. Por isso, de preferência deve-se esperar até que o período termine para a realização deste tipo de exame. Caso haja urgência, indica-se o uso de um tampão durante a coleta para que o sangue não contamine a amostra.

Já para exames laboratoriais que sejam de sangue, não existe nenhuma restrição. Porém, é muito importante informar o médico e o laboratório sobre o período menstrual. Isso porque alguns fatores variam durante o ciclo e influenciam o resultado.

4) Posso beber água durante o jejum?

Muitas pessoas não sabem, mas pode-se beber água durante o jejum para exames laboratoriais. Vale enfatizar que nos casos de exames de urina, o excesso de água dilui a urina e afeta o exame. Por isso, tome com moderação.

Lembramos que atualmente muitos exames já dispensam o jejum ou tem um tempo reduzido. Saiba mais aqui: http://vozza.com.br/saiba-tudo-sobre-o-jejum-para-fazer-exames/

5) Preciso parar de tomar meu remédio para fazer os exames?

O uso de medicamentos pode afetar o resultado dos seus exames laboratoriais. Os antibióticos, anti-inflamatórios e até mesmo a aspirina, por exemplo, interferem na coagulação do sangue. Este é um exame solicitado principalmente em pré-operatórios.

Dessa forma, é importante que você informe seu médico e verifique a possibilidade de suspender o uso por um período para a realização do exame. Caso não seja possível, avise o laboratório para que isso seja levado em conta no resultado.

6) Posso fazer meus exames de tarde?

Algumas pessoas preferem ir ao laboratório no período da tarde, que é quando o local fica mais tranquilo. Porém, saiba que existem alguns exames que devem ser necessariamente realizados pela manhã. O motivo é que algumas substâncias têm seu pico no organismo neste período.

Exames laboratoriais com jejum obrigatório ou hormonais, por exemplo, devem ser feitos pela manhã. Verifique com seu médico ou com o laboratório qual o melhor horário.

Ainda tem dúvidas?

Veja mais neste post: http://vozza.com.br/5-fatos-sobre-exame-de-sangue-que-voce-deveria-saber/

Se precisar, o Vozza conta com um WhatsApp para sanar suas dúvidas: 19 99114-0032.

Busque orientação junto ao seu médico e conte com o Laboratório Vozza para realizar os seus exames!