Você sabe quais são os principais sintomas da H1N1?

Com características muito semelhantes às da gripe comum, embora muito mais intensas, a H1N1 é uma doença que vem preocupando cada vez mais brasileiros. E com a chegada do frio, os cuidados com a saúde devem ser redobrados. Mas será que você conhece quais são as principais características e sintomas da H1N1?

Neste texto, vamos esclarecer algumas dúvidas acerca dessa doença. Você vai saber o que é, quais são seus sintomas, prevenção, grupos de risco etc. Confira!

 

A Gripe H1N1

Também conhecida como Gripe A ou Gripe Suína, a H1N1 é causada por uma mutação do vírus da gripe comum. Essa doença ficou muito famosa entre 2009 e 2010, época em que ela se espalhou pelo mundo todo. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, 207 países notificaram casos confirmados da doença nesse período. Só no Brasil, entre janeiro e junho de 2018, foram notificadas 243 mortes provocadas pelo vírus H1N1.

A transmissão da Gripe A ocorre, basicamente, da mesma forma que a de uma gripe comum. Ou seja, através de gotículas respiratórias no ar ou do contato com outras pessoas e objetos contaminados. Depois de infectada pelo vírus, uma pessoa pode demorar de um a sete dias para ser capaz de transmiti-lo a outros indivíduos, e de um a quatro dias para começar a sentir os principais sinais da doença.

 

Sintomas da H1N1

Embora a transmissão ocorra do mesmo modo que a de uma gripe comum, os sintomas da H1N1 são muito mais intensos e graves, podendo levar o paciente à morte.

Entre os principais sintomas da H1N1, podemos citar:

  • Febre alta
  • Dores de cabeça e de garganta
  • Dores musculares
  • Fraqueza
  • Cansaço ou fadiga
  • Espirros e coriza
  • Tosse

É recomendado que, ao constatar a frequência de alguns desses sintomas, a pessoa procure ajuda médica e se submeta a exames clínicos.

 

Grupos de risco

Apesar da Gripe H1N1 ser capaz de atingir qualquer tipo de pessoa, existem alguns grupos de risco que estão mais suscetíveis à doença. São eles:

  • Idosos a partir de 60 anos
  • Crianças entre 6 meses e 5 anos
  • População indígena
  • Grávidas a partir de 12 semanas e mães com até 45 dias depois do parto
  • Portadores de doenças crônicas não transmissíveis
  • Trabalhadores da área da saúde

 

Prevenção

Tendo em vista a gravidade dessa doença, manter hábitos saudáveis e prevenir-se é essencial. E a boa notícia é que isso é possível através de algumas simples ações em nosso dia a dia. Beber muita água, por exemplo, é uma ótima forma de não acumular secreções.

Lavar constantemente as mãos com água e sabão ou até mesmo álcool em gel também é outra forma de se prevenir contra a Gripe H1N1. Por fim, não compartilhe objetos de uso pessoal e evite lugares fechados e com muitas pessoas.

 

E lembre-se: confie sempre em seu médico para identificar e analisar os sintomas e conte com o Laboratório Vozza para realizar seus exames!

 

Conheça alguns fatores que podem alterar o resultado do exame de sangue

Conheça alguns fatores que podem alterar o resultado do exame de sangue

O resultado do exame de sangue é uma das maneiras mais eficazes de diagnosticar as condições de saúde nos mais diferentes órgãos do nosso corpo! Seja para verificar os níveis de glicose e colesterol ou mesmo para avaliar a quantidade de glóbulos e plaquetas através de um simples hemograma, os exames de sangue podem nos prevenir contra diversos problemas de saúde.

 

Mas, para garantir resultados precisos e assertivos, é essencial seguir as recomendações médicas e laboratoriais. Afinal, existe um grande número de fatores que podem alterar o resultado do exame de sangue.

 

Por isso, listamos aqui alguns deles para que você fique mais atento para os próximos exames. Confira!

 

Jejum

Uma das recomendações pré-analíticas mais comuns, o jejum serve para que a ingestão de alimentos não interfira na composição sanguínea, evitando assim possíveis alterações no resultado do exame de sangue. Uma refeição dentro do tempo de jejum pode acarretar, entre outras coisas, variações nos níveis de colesterol (de 5 a 10%) e triglicérides (cerca de 20%).

 

Remédios

O uso de determinados medicamentos, como anti-inflamatórios e antibióticos, também é um fator que pode alterar os resultados de um exame de sangue. Dessa forma, se você está fazendo uso de algum medicamento, o ideal é avisar o médico para evitar o erro na interpretação dos valores encontrados.

 

Faixa etária

De uma forma geral, os nossos órgãos vão perdendo determinadas capacidades com o passar dos anos. Os rins, por exemplo, aos poucos perdem a capacidade de eliminar substâncias tóxicas. Por isso, é importante que a idade do paciente também seja levada em conta antes de um exame.

 

Posição

Por incrível que pareça, a posição do nosso corpo enquanto estamos fazendo um exame de sangue também pode interferir em seus resultados! Se estamos deitados e levantamos rapidamente, por exemplo, os níveis de água e de outros elementos como triglicérides, hemoglobina, colesterol e albumina podem sofrer variações de até 10%. Assim, o recomendado é que você permaneça em repouso por, pelo menos, 15 minutos antes do exame.

 

Álcool e Fumo

Se você está com um exame de sangue agendado, o ideal é cortar o consumo de álcool, no mínimo, 72 horas antes da coleta. Isso porque as bebidas alcoólicas agridem nosso fígado e podem alterar significativamente os valores de glicose, triglicérides e ácido lático. Já o fumo pode alterar os níveis de leucócitos, hemácias, colesterol circulante, adrenalina e aldosterona. Por isso, evite fumar por até 3 horas antes do seu exame de sangue.

 

Gênero

Homens e mulheres podem apresentar níveis bastante distintos devido a diversos fatores, como variações de massa muscular, hormonais, metabólicas e outras alterações comuns do ciclo menstrual.

 

Atividade física

Os efeitos das atividades físicas sobre os componentes sanguíneos são transitórios e dependem da intensidade dos exercícios e do condicionamento físico de cada um. Mas, de qualquer forma, esse é um fator que pode interferir no resultado do exame de sangue. Ácido lático, ferro e ácido úrico são alguns dos componentes que podem sofrer variação devido a esforços físicos.

 

Para garantir resultados assertivos e diagnósticos precisos, é preciso confiar em um laboratório de qualidade. Conte com toda a estrutura do Laboratório Vozza para realizar seus exames! Agende pelo WhatsApp (19) 99114.0032 ou pelo telefone (19) 3733.2400

3 dicas valiosas: saiba como aliviar a TPM

Como se não bastasse a correria do dia a dia, muitas mulheres precisam enfrentar mensalmente a temida tensão pré-menstrual. Um período que as deixa em um estado maior de sensibilidade, atrapalhando inclusive algumas atividades rotineiras. Mas por que isso acontece? Como fazer para amenizar os efeitos “daqueles dias”? Veja aqui 3 dicas valiosas e saiba como aliviar a TPM. O que é e por que as mulheres passam pela TPM? Para entender como funciona e saber como aliviar a TPM é preciso compreender primeiro o ciclo menstrual. Um ciclo menstrual normalmente possui 28 dias, sendo os 14 primeiros o período de ovulação, quando ocorre o aumento dos níveis de estrogênio no corpo da mulher. A partir do 15º começa a preparação para a fecundação. Nesta fase os níveis de estrogênio começam a cair e ao final dos 28 dias ocorrem quedas hormonais bem bruscas. Essa oscilação causa os sintomas físicos e psicológicos da tensão pré-menstrual, aparecendo desconfortos como alterações de humor, dor nos seios, inchaço entre outros. Agora que você já sabe como seu corpo funciona, vamos às dicas! Vitamina da felicidade Você já teve aquela vontade incontrolável de chorar antes e durante o período da menstruação? Às vezes ela vem em momentos inoportunos e deixa você mais vulnerável sem saber como aliviar a TPM, que apesar de ser normal, pode ser atenuada com o consumo de vitamina B6. Alimentos ricos nessa vitamina como carnes (de boi, aves, peixes de água fria), leite e derivados, grãos integrais, batata, feijão, lentilha, grão-de-bico e oleaginosas, são responsáveis pela manutenção e energética e pelo equilíbrio hormonal. Chocolate é preciso! Quem acha que a TPM é apenas uma desculpa para driblar a dieta está muito enganado! O forte desejo por chocolate é na verdade seu corpo mandando sinais, você sabia? Pois é, essa vontade vem da necessidade do organismo em consumir mais magnésio nesse período. E adivinhe só quem é rico em magnésio? Ele mesmo, o chocolate. Mas fique atenta! Não é qualquer chocolate que possui essa propriedade. O chocolate escuro ou meio amargo é o mais rico em magnésio e benéfico para a saúde. Por isso, não basta consumir chocolates ricos em leite e gorduras. Se você deseja evitar o doce, é possível substituir ou conciliar o chocolate amargo com outros alimentos como aveia, milho, lentilha, soja, arroz integral, vegetais verde escuros, avelãs e nozes. Corra do estresse e do baixo astral Os benefícios de praticar atividades físicas são indiscutíveis, mas você sabia que além do aspecto físico eles podem contribuir para a saúde da mulher durante o período de tensão pré-menstrual? Ao praticar exercícios o corpo libera endorfina, hormônio responsável pelo bem-estar, evitando a dor e acalmando a mente. Não precisa sair correndo vários quilômetros, nem pagar mensalidades exorbitantes em academias. Uma caminhada basta para que você comece a sentir os efeitos no seu organismo. Experimente, mexa-se! Além dessas dicas valiosas, não se esqueça de olhar com atenção para seu corpo. Fique atenta a qualquer sinal e procure sempre um especialista. O Laboratório Vozza incentiva todas as mulheres a realizarem exames preventivos Seu corpo, suas regras e seus cuidados. Previna-se!

Como se não bastasse a correria do dia a dia, muitas mulheres precisam enfrentar mensalmente a temida tensão pré-menstrual. Um período que as deixa em um estado maior de sensibilidade, atrapalhando inclusive algumas atividades rotineiras.

Mas por que isso acontece? Como fazer para amenizar os efeitos “daqueles dias”?
Veja aqui 3 dicas valiosas e saiba como aliviar a TPM.

 

O que é e por que as mulheres passam pela TPM? 

Para entender como funciona e saber como aliviar a TPM é preciso compreender primeiro o ciclo menstrual.

Um ciclo menstrual normalmente possui 28 dias, sendo os 14 primeiros o período de ovulação, quando ocorre o aumento dos níveis de estrogênio no corpo da mulher. A partir do 15º começa a preparação para a fecundação. Nesta fase os níveis de estrogênio começam a cair e ao final dos 28 dias ocorrem quedas hormonais bem bruscas.

Essa oscilação causa os sintomas físicos e psicológicos da tensão pré-menstrual, aparecendo desconfortos como alterações de humor, dor nos seios, inchaço entre outros.

Agora que você já sabe como seu corpo funciona, vamos às dicas!

 

Vitamina da felicidade 

Você já teve aquela vontade incontrolável de chorar antes e durante o período da menstruação? Às vezes ela vem em momentos inoportunos e deixa você mais vulnerável sem saber como aliviar a TPM, que apesar de ser normal, pode ser atenuada com o consumo de vitamina B6.

Alimentos ricos nessa vitamina como carnes (de boi, aves, peixes de água fria), leite e derivados, grãos integrais, batata, feijão, lentilha, grão-de-bico e oleaginosas, são responsáveis pela manutenção e energética e pelo equilíbrio hormonal.

 

Chocolate é preciso!

Quem acha que a TPM é apenas uma desculpa para driblar a dieta está muito enganado! O forte desejo por chocolate é na verdade seu corpo mandando sinais, você sabia? Pois é, essa vontade vem da necessidade do organismo em consumir mais magnésio nesse período.

E adivinhe só quem é rico em magnésio? Ele mesmo, o chocolate.

Mas fique atenta! Não é qualquer chocolate que possui essa propriedade. O chocolate escuro ou meio amargo é o mais rico em magnésio e benéfico para a saúde. Por isso, não basta consumir chocolates ricos em leite e gorduras.

Se você deseja evitar o doce, é possível substituir ou conciliar o chocolate amargo com outros alimentos como aveia, milho, lentilha, soja, arroz integral, vegetais verde escuros, avelãs e nozes.

 

Corra do estresse e do baixo astral

Os benefícios de praticar atividades físicas são indiscutíveis, mas você sabia que além do aspecto físico eles podem contribuir para a saúde da mulher durante o período de tensão pré-menstrual?

Ao praticar exercícios o corpo libera endorfina, hormônio responsável pelo bem-estar, evitando a dor e acalmando a mente.

Não precisa sair correndo vários quilômetros, nem pagar mensalidades exorbitantes em academias. Uma caminhada basta para que você comece a sentir os efeitos no seu organismo. Experimente, mexa-se!

 

Além dessas dicas valiosas, não se esqueça de olhar com atenção para seu corpo. Fique atenta a qualquer sinal e procure sempre um especialista.

O Laboratório Vozza incentiva todas as mulheres a realizarem exames preventivos

Seu corpo, suas regras e seus cuidados. Previna-se!

Entenda os sintomas e saiba como tratar a anemia

Entenda os sintomas e saiba como tratar a anemia

 A anemia é um dos distúrbios mais comuns na medicina, ocasionado pela redução do número de glóbulos vermelhos no sangue. Mesmo sendo uma doença recorrente, ela pode causar complicações, e por isso é importante que você observe os sintomas e procure um médico para saber como tratar a anemia.

 

#Causas

A anemia pode ter as causas mais diversas, assim é importante que você fique atento ao seu histórico e o informe ao médico. Com a análise sanguínea correta e um bom bate-papo com um profissional da saúde é possível entender as causas e assim saber como tratar a anemia.

Veja aqui as possíveis causas da anemia:

Deficiência nutritiva: além do conhecido Ferro, a anemia pode ser decorrente de um quadro de deficiência no consumo de outros nutrientes como zinco, vitamina B12 e proteínas.

Gestação: principalmente durante o período de formação neural do bebê, a demanda por ácido fólico aumenta durante a gestão, e por isso pode gerar sua deficiência caso consumido em baixas quantidades, ocasionando anemia, já que o ácido fólico é um importante agente para a produção dos glóbulos vermelhos.

Menstruação: mulheres com o fluxo de menstruação intenso perdem mais sangue, logo, também perdem glóbulos vermelhos. 

Distúrbios intestinais: não basta ingerir, é preciso que seu corpo absorva os nutrientes necessários para manter um bom funcionamento do organismo, e problemas intestinais podem levar à má-absorção, podendo causar também deficiências nutricionais.

Outros fatores fisiológicos: doenças crônicas como câncer e insuficiência renal afetam a produção de glóbulos vermelhos.

#Sintomas 

Agora que você já conhece as possíveis causas, você pode ficar atento a uma possível pré-disposição para anemia. Lembrando que esse distúrbio deve ser devidamente diagnosticado por meio de exames e análises específicas.

Então fique atento, se você se encaixa em uma das condições anteriores e tem sintomas como os listados abaixo procure um médico:\

  • Fadiga;
  • Fraqueza;
  • Pele pálida;
  • Batida cardíaca rápida ou irregular;
  • Falta de ar;
  • Dor no peito;
  • Tontura;
  • Problemas cognitivos;
  • Mãos e pés frios;
  • Dor de cabeça.

#Como tratar a anemia

Há uma série de vitaminas e nutracêuticos que podem ser consumidos com indicação médica para tratar a anemia, porém existem também maneiras naturais de atenuar e cuidar de um quadro de anemia: 

Atenção ao baço: sabe aquela dor do lado superior esquerdo do abdômen, recorrente principalmente durante a realização de atividades físicas como corridas? É seu baço dando sinal de vida! Você sabia que o baço é o órgão responsável pela produção de glóbulos vermelhos? Pois é, cuide dele consumindo vegetais de folhas verdes como couve e acelga.

Consuma alimentos probióticos: esse tipo de alimento ajuda seu intestino a consumir melhor os nutrientes dos alimentos processados.

O astro principal – o Ferro: o nutriente não podia faltar na nossa lista! Invista em alimentos ricos na substância como, fígado, espinafre e acelga.

Reduza o estresse: você sabia que situações de estresse podem afetar o funcionamento do seu baço? E agora que você já sabe qual a importância do órgão na prevenção da anemia, cuide dele, da sua mente e da sua rotina! Diminua o estresse buscando formas alternativas de concentração e redução da ansiedade.

 

Agora que você conhece pontos muito importantes para o diagnóstico, tratamento e prevenção da anemia, fique atento aos sintomas e sua rotina.

 

Não se esqueça também que é importante consultar um médico e realizar um exame de sangue para comprovar o diagnóstico.

 

 

Conte com o Laboratório Vozza e cuide da sua saúde diariamente!

 

 

Proteína C Reativa alta: do exame aos resultados

Proteína C Reativa alta: do exame aos resultados

Existem diversos tipos de análises sanguíneas e entre elas está a de Proteína C Reativa, ou PCR. O exame é realizado normalmente para verificar a ocorrência de infecções e de inflamações, que são detectadas quando são identificados resultados com Proteína C reativa alta.

 

#O que é Proteína C Reativa? 

Ela é uma proteína produzida normalmente pelo fígado, cuja concentração se apresenta elevada em estados de inflamação e infeções. Assim, em pacientes em que a análise sanguínea apresenta Proteína C Reativa alta existe o risco do desenvolvimento ou de um aparente processo inflamatório.

A Proteína C Reativa alta, nada mais é, portanto, que uma resposta do sistema imunológico à existência de infecções como pneumonia, linfomas, pancreatite e apendicite aguda.

 

#Como funciona o exame PCR?

Apesar de muito simples, a análise de PCR é muito eficiente a partir do momento que pode se identificar inflamações ou infecções em sua fase aguda e proporcionar ao paciente uma maior oportunidade de tratamento.

No entanto, a Proteína C Reativa Alta é apenas um indicador da existência de alguma anormalidade no paciente. Afinal, apesar de apresentar em seu diagnóstico os níveis de Proteína C Reativa, o exame é insuficiente para descobrir a verdadeira origem da infecção. Ainda assim, o exame é benéfico à medida que é capaz de detectar mudanças a partir de 2 horas após o início do quadro infeccioso.

Além disso, ele é um excelente indicador dos efeitos de tratamentos, uma vez que consegue identificar mudanças sensíveis nos níveis de Proteína C Reativa, diferentemente de hemogramas baseados na contagem de leucócitos.

 

#Valores de Proteína C Reativa

Os exames devem ser sempre analisados e interpretados por um médico para que o caso de cada paciente possa receber o devido tratamento ou até mesmo uma investigação mais profunda, se necessário.

Existe uma escala básica de análise dos níveis de PCR, mas estes podem ser alterados por fatores como consumo alcoólico, tabagismo e sedentarismo. Por isso, procure sempre o auxílio de um profissional.

Confira abaixo uma escala básica de valores de Proteína C Reativa:

  • Entre 0,3 mg/dL (3 mg/L) e 1,0 mg/dL (10 mg/L) – inflamações de nível mínimo. Exemplo: gengivite ou resfriado.
  • Entre 1,0 mg/dL (10 mg/L) e 4,0 mg/dL (40 mg/dl) – infecções virais mais fortes, como gripe, mononucleose, catapora, etc.
  • Acima de 4,0 mg/dL (40 mg/L) são mais compatíveis com infecção bacteriana.

Agora, ao realizar seus exames de rotina, você vai poder observar se no seu pedido médico consta a análise de Proteína C Reativa.

Mas nada de ficar alarmado(a)! Essa é uma análise bastante solicitada em check-ups, por isso caso seu médico não solicite, verifique com ele a necessidade de realizá-lo.

Ficou curioso sobre como andam seus níveis de Proteína C Reativa?

Conte com o Laboratório Vozza: um laboratório de tradição e com o atendimento mais humanizado da Região Metropolitana da Campinas.

 

Como é feito e para que serve o espermograma

Como é feito e para que serve o espermograma

Os homens em sua maioria têm certa resistência em procurar auxílio médico, seja qual for a questão. Assim, eles acabam deixando de realizar exames essenciais para a saúde como o espermograma. Entenda aqui neste texto qual a sua importância, saiba como é feito e para que serve o espermograma.

 

Saúde sexual e reprodutiva

O espermograma é um exame comumente solicitado por urologistas e profissionais de saúde reprodutiva. Seu objetivo é verificar as condições físicas e químicas do sêmen  humano e as propriedades específicas dos espermatozoides. Dessa forma, é possível identificar a natureza de algum problema de infertilidade e focar em tratamentos.

O exame ajuda ainda a avaliar as funções dos testículos e das glândulas seminais após a vasectomia. Esse é um procedimento que consiste na esterilização do homem impedindo-o de gerar uma gravidez futura. É importante ressaltar que o homem só deve realizá-lo quando tiver certeza. Isso porque apesar de não ser considerado definitivo, a eficácia da reversão pode depender muito do organismo e do tempo decorrido após sua realização.

 

Preparo para o espermograma

O preparo para esse exame não exige jejum. Porém, orientações prévias devem ser observadas de acordo com o objetivo do exame. Geralmente são exigidos de 3 a 5 dias de abstenção sexual e de qualquer tipo de ejaculação para garantir a qualidade e a quantidade do material a ser avaliado, por exemplo. No entanto, se o objetivo do exame for verificar os resultados da vasectomia, esse preparo já não é necessário.

Assim, fique atento ao seu pedido médico e às orientações do laboratório onde realizará o exame.

 

Como é feito 

Quando realizado em laboratório, o espermograma consiste na coleta do sêmen em um frasco esterilizado por meio da masturbação realizada em uma sala especialmente preparada. Para garantir a qualidade da amostra coletada, não é aconselhável colher a amostra em nenhum outro local que não seja o laboratório.

 

Quem deve fazer o exame

O exame deve ser realizado por homens de casais que suspeitam de infertilidade enquanto tentam conceber uma gravidez. O exame ainda pode ser realizado por aqueles que já a tem como uma condição comprovada e para tratá-la precisam conhecer a origem da infertilidade.

Para a concepção de um feto é necessário que um espermatozoide fecunde um óvulo. Para isso, é preciso que ele tenha certas características como uma boa capacidade de movimentação, formato adequado e uma boa capacidade de penetrar no interior do óvulo.

Esses aspectos são observados ao analisar o exame. Isso proporciona que o médico encontre um tratamento mais adequado para solucionar a infertilidade ou a própria dificuldade de concepção.

 

Resultados

A versão de análise de fertilidade masculina é mais fácil e rápida quando comparada a versão feminina do exame.

Entre seus resultados, podem ser observados diversos aspectos de duas formas:

  • Na análise macroscópica (a olho nu), podem ser analisados itens como a quantidade, cor e pH.
  • Já na forma microscópica (com o auxílio de aparelhos de aproximação), é possível detectar a presença de bactérias, glóbulos sanguíneos, além de analisar a morfologia e a capacidade de locomoção desses espermatozoides.

 

Todos esses itens são comparados às condições normais esperadas de um material como esse, e assim são obtidos os resultados.

 

O Laboratório Vozza tem toda a estrutura que você precisa para a realização do espermograma. 
Com total qualidade e discrição, você estará seguro e ainda contará com nosso diagnóstico de qualidade

Agende seu exame:  pelo WhatsApp (19) 99114.0032 ou pelo telefone  (19) 3733.2400

 

Saiba as causas e como tratar a gastrite nervosa

Saiba as causas e como tratar a gastrite nervosa

Você já reparou como nosso estado psicológico reflete em nossa saúde física? Um dia estressante, planos mal sucedidos e problemas familiares refletem-se em enxaquecas, queda de cabelo e, inclusive, em quadros dolorosos de gastrite nervosa! Esse tipo de gastrite é bastante comum, por isso é importante que você saiba as causas e como tratar a gastrite nervosa.

 

Entenda a gastrite nervosa

Os desequilíbrios no campo emocional afetam de forma direta o volume de ácidos em nosso estômago e, consequentemente, diminuem as mucosas responsáveis pelo revestimento e pela prevenção de inflamações do estômago.

Após o aumento no volume de ácido secretado, os indivíduos tendem a se alimentar de forma irregular, devido a falta de apetite, ou até mesmo ao consumir alimentos de fácil deglutição, porém nem tão saudáveis assim.

Por essa razão, sua recuperação exige medidas preventivas e paliativas que misturam tratamento psicológico e reeducação alimentar, o que torna a missão de tratar a gastrite nervosa desafiadora!

 

Sintomas 

O surgimento dos sintomas está bastante atrelado ao estado emocional do paciente, por isso eles podem se apresentar de forma passageira e até mesmo complicar o diagnóstico. Assim, conhecê-los é essencial para identificar e tratar a gastrite nervosa em todos os quadros.

O diagnóstico é realizado através de exames clínicos e de sintomas como:

  • Falta de apetite;
  • Dor de estômago;
  • Má digestão;
  • Náuseas;
  • Azia;
  • Arrotos frequentes.

 

Como tratar a gastrite nervosa 

#Medicação e tratamento psicológico

Para atenuar as dores e as náuseas é recomendado o uso de medicamentos antiácidos sob prescrição médica. Porém, no tratamento da gastrite nervosa indica-se o uso por um curto período para os sintomas físicos.

É adequado que o paciente busque o auxílio de terapias e outros recursos que possam auxiliá-lo na melhoria de seu estado emocional, como meditação, sessões de terapias e técnicas de relaxamento.

O paciente pode contar ainda com calmantes naturais e caseiros como o chá de camomila, que deve ser consumido de 2 a 3 vezes ao dia para ativar seu efeito calmante.

 

#Alimentação

A alimentação está entre os hábitos mais complexos a serem mudados, mas se você precisa tratar a gastrite nervosa é necessário que ocorram mudanças específicas em sua alimentação, pelo menos durante o período de tratamento.

Para tratar, é recomendada uma alimentação rica em frutas e em legumes, livre de gorduras. Dê preferência aos grelhados ou aos assados.

Entre os principais vilões de quem sofre de qualquer tipo de gastrite estão o chocolate, o café, os enlatados, as pimentas, os doces e os carboidratos, por isso, evite esses alimentos.

 

Cuide de sua mente, do seu corpo e, se precisar, conte com o Vozza para a realização dos exames diagnósticos da gastrite nervosa!

 

Ligue  (19) 3733.2400

Ou acesse http://vozza.com.br

Hanseníase e o Janeiro Roxo de alerta

Hanseníase e o Janeiro Roxo de alerta

Dando continuidade a série de meses temáticos em prol da atenção e conscientização, chegamos ao Janeiro Roxo: mês de alerta sobre a Hanseníase! Mas você sabe o que é, suas causas e tratamentos?

Antes de criar conceitos ou uma visão sobre o assunto, vamos conhecer um pouco mais sobre como ocorre a Hanseníase.

 

#O que é?

A Hanseníase, também conhecida como Lepra, é uma doença crônica infectocontagiosa que atinge a pele e os nervos periféricos, responsáveis pela sensibilidade da pele. Ela é datada como uma das doenças mais antigas responsável por prejudicar a população.

Sem o devido tratamento, a doença pode levar a sérias complicações como cegueira, disfunção erétil, fraqueza muscular e falência renal.

 

#Causas e prevenção

A doença é causada por uma bactéria chamada bacilo de Hansen, que penetra no organismo pelas vias respiratórias ou por secreções. Porém, é preciso ficar atento, pois o aparecimento dos sintomas pode ser bastante lento, demorando de 2 a 5 anos para aparecer.

A contaminação pode ocorrer ainda sob condições de higiene inadequadas ou o contato íntimo com o portador que não receber o devido tratamento, isto é, apesar da contaminação se realizar pelas vias respiratórias, sua transmissão é um pouco mais complexa do que o vírus da gripe, por exemplo. Ela exige contato prolongado com a pessoa infectada, atingindo mais amigos próximos e familiares.

Há também a possibilidade de transmissão do vírus através da pele, mas caso o portador esteja realizando tratamento, não há risco de contaminação.

 

#Tratamento

Antes de partir para o tratamento, o primeiro passo é a prevenção. E para Hanseníase é importante garantir que seu sistema imunológico esteja fortalecido para combater possíveis infecções.

Para tratar a bactéria, o paciente deve fazer tratamento com medicamentos e obrigatoriamente ser assistido por um médico, pois além de ser importante para a eficácia do tratamento, é fundamental para segurança do paciente à medida que esse pode gerar complicações.

 

#Mitos e verdades

Hanseníase tem cura?

VERDADE: Após receber o devido tratamento, o paciente consegue ter seu estado de saúde reestabelecido após alguns meses, dependendo do caso.

A doença pode levar a óbito?

MITO: Durante alguns anos, sem o devido diagnóstico e tratamento, ocorriam casos em que os pacientes não resistissem devido às complicações geradas pela Hanseníase, mas hoje, com as possibilidades de um diagnóstico assertivo e com tratamentos mais modernos e eficazes, isso não ocorre.

As manchas na pele são o único sintoma da doença?  

MITO: Embora, as manchas na pele sejam um sinal de alerta para o diagnóstico da Hanseníase, elas não devem ser observadas isoladamente. As manchas de tonalidade clara, branca, ou levemente avermelhadas devem ser analisadas em conjunto com a queda de pelos e diminuição da sensibilidades nesses locais, como ocorre numa anestesia local.

 

Informação é tudo: previna-se e cuide com o devido respeito e atenção de quem você mais ama.

O Laboratório Vozza apoia a prevenção e a conscientização sobre a Hanseníase.

Saúde no verão: 6 dicas de como aproveitar bem a estação

Saúde no verão: 6 dicas de como aproveitar bem a estação

Estação de sol, férias e altas temperaturas, o verão é o queridinho dos brasileiros, e por aqui ele começa no dia 21 de dezembro! Mas como em qualquer outra época do ano é importante ficar atento para não se descuidar da saúde no verão. Veja aqui 6 dicas de como aproveitar ao máximo a estação.

 

Hidrate-se

Com as altas temperaturas é normal perdermos muita água e sais minerais devido a transpiração. Alguns dos sintomas da desidratação são dor de cabeça, tontura e boca seca. Mas antes que eles apareçam, é essencial realizar a reposição de líquido ingerindo pelo menos 2 litros diários de água mineral. Outra boa e deliciosa opção para garantir mais saúde no verão e hidratar-se, é consumir água de coco ou bebidas isotônicas.

Além disso, quem não gosta daquela cervejinha ou caipirinha para se “refrescar” durante os dias quentes de férias? Mas atenção, fique atento ao consumo excessivo de álcool, pois ele expulsa a água das células, provocando a desidratação. Se beber, procure hidratar-se sempre que possível. Além de bem hidratado, você evita aquela ressaca indesejada!

 

Cuidados com o sol

Além de elevar a temperatura corporal e ocasionar maior perda de líquido, a alta exposição solar é um fator de muita atenção para garantir um pleno estado de saúde no verão. Procure tomar sol antes das 10 horas da manhã e após as 16 horas, pois são nestes períodos os raios solares estão menos intensos, o que consequentemente diminui os riscos de sofrer insolação.

Mas tomar cuidado apenas com a exposição não basta, aplique SEMPRE o filtro solar mesmo naqueles dias em que o sol esteja entre nuvens, pois ainda sim ocorre incidência de raios solares.

 

Alimentação

Você já reparou que no verão temos tendência a sentir menos apetite do que nas estações com temperaturas mais amenas? Isso porque com o calor nosso metabolismo desacelera e consequentemente, o mesmo ocorre com o nosso processo digestivo. Assim, é recomendável priorizar o consumo de alimentos mais leves e frescos, e de preferência suculentos, isto é, ricos em água.

Assim você evita uma indigestão ou intoxicações alimentares, também muito comuns nesta época do ano!

Caso precise comer fora de casa, prefira os produtos industrializados, já que seguem um padrão de qualidade mais rigoroso.

  

Na moda do verão

Outro fator importante é a vestimenta. Aposte em roupas frescas e claras, isso porque tecidos escuros tendem a absorver o calor. Evite tecidos sintéticos e invista em chapéus, bonés, e óculos escuros. Não é só uma questão de estilo, mas também de saúde e conforto!

 

Na água

Muitas pessoas se preocupam muito com os preparativos para viagem, e esquecem totalmente os perigos das atrações principais do verão: mar, piscina e rio! Nestes ambientes o cuidado deve ser redobrado com as crianças para evitar afogamentos, mas o mesmo vale para os adultos. Não entre na água após refeições, nem após o consumo de uma quantidade excessiva de álcool.

Não ultrapasse seus limites nem faça nenhum tipo de atividade perigosa, principalmente se você não soube nadar.

 

Faça um check-up

Para aproveitar suas férias com mais tranquilidade, programe-se para fazer um check-up e conferir como anda sua saúde. Assim, você pode tomar mais cuidado com a alimentação, por exemplo, e ficar em dia com sua saúde no verão.

 

 

Desfrute do verão com tranquilidade e bem-estar.

Para isso, conte com o Vozza e agende seu exame: (19) 3733-2400.

 

 

Tipos de diabetes: como evitar e como tratar

Tipos de diabetes: como evitar e como tratar

A diabetes é uma doença silenciosa, que pode levar anos para se manifestar. Nos últimos dez anos o número de casos dobrou no país, atingindo pacientes de todas as idades e acentuando-se entre a meia idade e a velhice. O aparecimento de vários tipos de diabetes possui diversos fatores associados, como o histórico familiar, alimentação e até mesmo fatores emocionais.

Descubra aqui o que é, como evitar e como tratar alguns tipos de diabetes:

 

Diabetes: o que é?

A doença se caracteriza como uma síndrome metabólica causada pela dificuldade do pâncreas em produzir insulina. Ela pode ser causada também pela incapacidade da substância de cumprir com sua função. Essas duas situações ocasionam o aumento dos níveis de açúcar no sangue (glicose). A diabetes é uma doença crônica que pode ser diagnosticada por meio de exames de sangue. Ela precisa ser tratada a longo prazo e muitas vezes não há a possibilidade de cura.

 

Tipos de diabetes

Existem vários tipos de diabetes. A possibilidade de cura varia de acordo com sua classificação. Entenda como ocorrem alguns tipos de diabetes:

  • Pré-diabetes – é um estado no qual o indivíduo possui propensão a desenvolver diabetes a qualquer momento de sua vida. Isso caracteriza-se como um nível intermediário entre o estado saudável e a diabetes tipo 2.
  • Diabetes tipo 1- neste caso há uma predisposição genética ou uma deficiência do organismo em produzir insulina corretamente. O Tipo 1 não apresenta pré-diabetes, podendo se desenvolver em qualquer idade.
  • Diabetes tipo 2- também conhecida como resistência à insulina, a diabetes tipo 2 combina a deficiência na ação da substância ou a ausência de sua secreção. Ela pode ser tratada com medicamentos, mas existe a possibilidade de agravamento ao longo da vida.
  • Diabetes gestacional – como o próprio nome já sugere, a diabetes gestacional ocorre durante a gravidez, podendo ou não permanecer no pós-parto. Ainda não há uma explicação concreta sobre por quais motivos o nível de glicose cresce durante este período. Isso pode estar relacionado a algum tipo de resistência à insulina.

 

Tratamento

Assim como o aparecimento, o tratamento varia também de acordo com os tipos de diabetes. Para o Tipo 1, utiliza-se a aplicação de insulina de 2 a 3 vezes ao dia; no Tipo 2, o indivíduo consome medicamentos hipoglicemiantes, que colaboram para o controle e a produção de insulina pelo pâncreas. No diabetes gestacional, às vezes é necessário fazer a ingestão de insulina. Porém seja qual for o tipo de diabetes, o tratamento envolve além do consumo de medicamentos, uma dieta controlada. Essa dieta pode ser associada a alimentos como farinha de casca de maracujá e linhaça, para o controle glicêmico.

 

Prevenção

Melhor do que tratar é prevenir sempre que possível. Por isso, aqui vão algumas dicas para evitar o aparecimento da diabetes:

  • Pratique atividade física regularmente e controle o seu peso, bem como a pressão arterial;
  • Fuja de uma dieta rica em açúcares e gorduras;
  • Fique atento a sua rotina e certos hábitos. O stress e o alcoolismo afetam diretamente o surgimento de diabetes;
  • Considere sempre seu histórico familiar e realize exames regularmente para acompanhar os níveis de glicemia.

 

Não seja surpreendido e antecipe-se na prevenção do diabetes! Conte com o Vozza e agende seu exame: (19) 3733-2400.