Saiba as causas e como tratar a gastrite nervosa

Você já reparou como nosso estado psicológico reflete em nossa saúde física? Um dia estressante, planos mal sucedidos e problemas familiares refletem-se em enxaquecas, queda de cabelo e, inclusive, em quadros dolorosos de gastrite nervosa! Esse tipo de gastrite é bastante comum, por isso é importante que você saiba as causas e como tratar a gastrite nervosa.

 

Entenda a gastrite nervosa

Os desequilíbrios no campo emocional afetam de forma direta o volume de ácidos em nosso estômago e, consequentemente, diminuem as mucosas responsáveis pelo revestimento e pela prevenção de inflamações do estômago.

Após o aumento no volume de ácido secretado, os indivíduos tendem a se alimentar de forma irregular, devido a falta de apetite, ou até mesmo ao consumir alimentos de fácil deglutição, porém nem tão saudáveis assim.

Por essa razão, sua recuperação exige medidas preventivas e paliativas que misturam tratamento psicológico e reeducação alimentar, o que torna a missão de tratar a gastrite nervosa desafiadora!

 

Sintomas 

O surgimento dos sintomas está bastante atrelado ao estado emocional do paciente, por isso eles podem se apresentar de forma passageira e até mesmo complicar o diagnóstico. Assim, conhecê-los é essencial para identificar e tratar a gastrite nervosa em todos os quadros.

O diagnóstico é realizado através de exames clínicos e de sintomas como:

  • Falta de apetite;
  • Dor de estômago;
  • Má digestão;
  • Náuseas;
  • Azia;
  • Arrotos frequentes.

 

Como tratar a gastrite nervosa 

#Medicação e tratamento psicológico

Para atenuar as dores e as náuseas é recomendado o uso de medicamentos antiácidos sob prescrição médica. Porém, no tratamento da gastrite nervosa indica-se o uso por um curto período para os sintomas físicos.

É adequado que o paciente busque o auxílio de terapias e outros recursos que possam auxiliá-lo na melhoria de seu estado emocional, como meditação, sessões de terapias e técnicas de relaxamento.

O paciente pode contar ainda com calmantes naturais e caseiros como o chá de camomila, que deve ser consumido de 2 a 3 vezes ao dia para ativar seu efeito calmante.

 

#Alimentação

A alimentação está entre os hábitos mais complexos a serem mudados, mas se você precisa tratar a gastrite nervosa é necessário que ocorram mudanças específicas em sua alimentação, pelo menos durante o período de tratamento.

Para tratar, é recomendada uma alimentação rica em frutas e em legumes, livre de gorduras. Dê preferência aos grelhados ou aos assados.

Entre os principais vilões de quem sofre de qualquer tipo de gastrite estão o chocolate, o café, os enlatados, as pimentas, os doces e os carboidratos, por isso, evite esses alimentos.

 

Cuide de sua mente, do seu corpo e, se precisar, conte com o Vozza para a realização dos exames diagnósticos da gastrite nervosa!

 

Ligue  (19) 3733.2400

Ou acesse http://vozza.com.br