Saiba como interpretar o resultado do exame de urina

Hemácias, leucócitos, bilirrubina, nitrito, glicose, pH… São tantas informações que até parece impossível interpretar o resultado do exame de urina, não é mesmo?

Mas saiba que analisar o seu exame não é uma tarefa tão complicada assim. E para te ajudar, listamos aqui alguns dos principais dados, informações e substâncias que você irá encontrar na hora de avaliar o seu resultado do exame de urina. Confira!

 

 O exame de urina

Solicitado pelos médicos como um diagnóstico complementar, o exame de urina nos fornece informações muito importantes para analisar a saúde e o bom funcionamento do nosso organismo, principalmente dos órgãos ligados ao sistema urinário.

Hoje, é possível contar com três diferentes tipos de exame de urina: o tipo 1, o exame de urina de 24 horas e o exame de urocultura. O primeiro, também chamado de exame de urina EAS – Elementos Anormais do Sedimento –, é o mais comum e mais solicitado pelos médicos. Por isso, daremos uma atenção especial a ele neste texto!

Através do resultado do exame de urina tipo 1 é possível analisar alguns dados importantes, como o pH e a densidade de nossa urina. Também é possível identificar um número anormal de elementos como hemácias, leucócitos, bilirrubina e glicose, o que pode indicar alguma doença. É válido lembrar também que este é um exame indolor, de simples coleta e que apresenta resultados rápidos.

 

Principais elementos

pH

De um modo geral, o pH da urina é levemente ácido e varia entre 5,5 e 7,0. Valores menores do que esses podem ser causados por uma dieta rica em proteína animal ou por doenças nos túbulos renais. Já os valores maiores que 7,0 no resultado do exame de urina podem indicar a presença de bactérias, que tornam a urina mais alcalina.

 

Densidade

Os valores de referência da densidade da urina variam entre 1,005 e 1,035. Para efeito de comparação, a densidade da água pura é igual a 1,000. Isso significa que, quanto mais próxima de 1,005, mais diluída a urina será. Já no caso contrário, ou seja, uma urina com densidade próxima de 1,035, ela será muito concentrada, indicando desidratação. Nesses casos, ela apresenta uma cor mais amarelada e um odor mais forte.

 

Hemácias

Normalmente, a quantidade de hemácias em nossa urina é desprezível, ao passo de não conseguir ser detectada em um exame. Os valores de referência são: menores que 3 a 5 hemácias por campo do microscópio, ou menos de 10.000 células por mL. Quantidades excessivamente maiores do que essas no resultado do exame de urina podem indicar infecções urinárias, pedras nos rins ou até doenças renais mais graves.

 

Leucócitos

Os leucócitos não costumam constar em um resultado de exame de urina. Eles são as nossas células de defesa e sua presença pode indicar alguma inflamação nas vias urinárias.

 

Glicose

Assim como os leucócitos, a glicose também não costuma estar presente em nossa urina. A sua ocorrência pode indicar que os níveis de glicose no sangue também estão altos. Em geral, pessoas com diabetes ou com doenças nos túbulos renais apresentam evidências de glicose na urina.

 

Nitrito

A nossa urina é naturalmente rica em nitratos. No entanto, existem algumas bactérias capazes de transformar esses nitratos em nitritos. Por isso, a presença de nitritos no resultado do exame de urina pode significar a presença de bactérias e infecções urinárias.

 

Bilirrubina

Em condições normais, a bilirrubina é mais um dos elementos que não costumam aparecer em nossa urina. Ela só aparece realmente quando os seus níveis sanguíneos ultrapassam o valor de 1,5 mg/dL. Índices altos dessa substância podem indicar doenças biliares, hepáticas ou neoplasias.

 

Agora que você já tem uma base para analisar o resultado do exame de sangue, ficou mais fácil cuidar da sua saúde, não é mesmo? Mas não se esqueça: confie sempre no seu médico para que ele possa fazer uma leitura mais aprofundada do seu exame.

E para realizar exames confiáveis e que garantam um diagnóstico preciso, conte com o Laboratório Vozza!